Manual oficina l200 ano 2008

Manual oficina l200 ano 2008

(Parte 1 de 3)

MF200 Modelos: 250X-250XE-255-265-275-283-290-291-292-297-298-299

Manual de Oficina Tratores 4x2 | 4x4 | Compacto | Collector | Canavieiro | Aeroporto

0-1MF Série 200

Manual de Oficina - MF Série 200

Modelos de tratores aplicados:

Tratores Massey Ferguson dos modelos

MF 250X, 250XE, 255, 265, 275, 283, 290, 291, 292, 297, 298 e 299.

Variações e modelos especiais

- Canavieiro.

- Aeroporto.

-Sem e com cabine.

-4x2 e 4x4.

Publicado por AGCO do Brasil, Canoas - Rio Grande do Sul - Brasil Código da Publicação: MOP200E04 Edição: 12/08 AGCO do Brasil

Fig. 3

Fig. 2 Fig. 1

Manual de Oficina - MF Série 200 0-2MF Série 200

0-3MF Série 200

Manual de Oficina - MF Série 200 Introdução

Aberturas do trator e lataria

Motores

Embreagens

Câmbios

Eixo traseiro

Tomada de Potência

Eixo dianteiro

Sistemas Hidráulicos (levante e sistemas auxiliares)

Sistema Elétrico

Reservado para sistemas eletrônicos Cabine e climatização

Manual de Oficina - MF Série 200

0-4MF Série 200 Página deixada em branco intencionalmente

01000-I01000-I01000-I01000-I01000-IMF Série 200

Conteúdo - Módulo 01: Introdução

01A01 Introdução 01B01Especificações gerais dos tratores

01000-IIMF Série 200

Conteúdo - Módulo 01: Introdução 01

Página deixada em branco intencionalmente

01A01-101A01-101A01-101A01-101A01-1MF Série 200

Introdução

A. Apresentação2
B. Como consultar este Manual3
C. Segurança4
D. Técnicas adequadas de trabalho na oficina7
E.Tabela genérica de torques recomendados para parafusos15
F. Unidades Técnicas18
G. Produtos para travamento e vedação23
H. Tintas especificadas para repintura do trator25
I. A política ambiental da AGCO26

Introdução

01A01-201A01-201A01-201A01-201A01-2 MF Série 200

01A. Apresentação O objetivo deste Manual de Serviço, é dar assistência às Concessionárias para execução de uma eficiente manutenção dos tratores Massey Ferguson Série 200.

Um bom Suporte ao Produto assume importância cada vez maior. Além de vender um bom produto, é indispensável uma boa assistência, pois só assim é possível atingir o objetivo maior, que é a satisfação do Cliente.

Nesse contexto, a estrutura de manutenção prestada pela Concessionária é de fundamental importância e portanto, deve ser executada somente por pessoal treinado e perfeitamente familiarizado com os diferentes componentes do trator. Portanto, além de realizar cursos periódicos de atualização numa das Unidades de Treinamento da AGCO do Brasil, você deve consultar este Manual antes de executar o serviço, sempre que tiver alguma dúvida. Para isso o Manual deve estar sempre à disposição da oficina. Além de conservá-lo sempre em condições de uso, o Departamento de Serviços deve ficar atento para as atualizações que venham a ser introduzidas nos tratores e portanto, no Manual.

Fig. 1

01A01-301A01-301A01-301A01-301A01-3MF Série 200

Introdução

03, 04, 05), cada qual descrevendo um sistema específico do trator.

Exemplos: Motor, Eixo Dianteiro, Sistemas hidráulicos, etc.

D...), cada qual descrevendo um tipo específico de sistema, nos casos em que há diferentes opções.

Exemplos - Motores: Motor International 4-3.9 / 4-4.1, Série 1000, etc.

-Cada Seção é dividida em Sub-seções (01, 02, 03, 04...), cada qual descrevendo uma parte ou sub-divisão.

Exemplos - no caso de Motores: Cabeçote, Bloco, Virabrequim, etc.

Exemplos: Desmontagem, Inspeção de componentes, Especificações, Ajustes, etc.

-Cada página das Sub-seções possui um número seqüencial, iniciando por 01.

Fig. 1

Introdução

01A01-401A01-401A01-401A01-401A01-4 MF Série 200

01C. Segurança A sua segurança e a dos outros, deve ser a primeira preocupação quando da execução dos trabalhos de manutenção. Para que isto se efetive, são necessários três itens: consciência, uso correto das ferramentas e adoção de equipamentos de proteção, individual e coletivo, EPI e EPC respectivamente.

No que se refere à consciência, esta depende de cada indivíduo, ou seja, cada um deve, por si mesmo obtê-la, com base nos riscos à que está sujeito no trabalho. Ao tomar conhecimento de alguma regra de segurança, esta não pode ser interpretada como "Não faça isso, não faça aquilo..." Antes procure refletir sobre o que pode acontecer em caso de não observar determinada regra. Não seja partidário da idéia ultrapassada de que "é preciso errar para aprender", pois as conseqüências de um erro podem ser irremediáveis. Lembre-se: após um acidente, o primeiro pensamento que surge é o de que se faria tudo - se ainda estivesse em tempo - para evitar aquele dano. Caminhar vinte metros para buscar "aquela ferramenta adequada" pode ser cansativo, mas nunca tão desastroso quanto um acidente com danos pessoais e/ou materiais.

Com relação às regras em si, é impossível reunir todas. São inúmeras as situações de risco. Assim, enumeramos algumas regras básicas para efeito ilustrativo.

hidráulico, a talha, a correnteestejam em

-Utilize sempre ferramental e dispositivos adequados no trabalho, especialmente quando lidar com conjuntos inteiros e/ou peças pesadas. Certifique-se de que o macaco perfeitas condições, e com capacidade compatível com a carga.

-Sempre que utilizar um aparelho elétrico certifique-se de que o mesmo está aterrado e que não haja fio desencapado.

Fig. 2

Fig. 1

01A01-501A01-501A01-501A01-501A01-5MF Série 200

Introdução

-Desligue sempre o cabo negativo da bateria, evitando que alguém provoque o acionamento acidental ou inadvertido do motor de partida.

-Para realizar soldas, além de desligar a bateria você deve usar as devidas proteções: máscara ou óculos especiais, luvas e avental. A falta de proteção dos olhos por exemplo, afeta a visão em pouco tempo, muitas vezes de forma irreversível!

-Ao abrir o trator, é fundamental o uso de trilhos e carrinhos adequados. Isto proporciona, além de segurança um serviço rentável e de qualidade. Use sempre calços de madeira em cunha para calçar as rodas que não serão deslocadas para a abertura.

-Não permita que o piso da oficina fique encharcado de óleo; isto é causa para escorregamento e quedas, além de comprometer a aparência da oficina. Lembrese: a organização é o espelho da qualidade do profissional que ali atua.

Fig. 3 Fig. 4

Fig. 6 Fig. 5

Introdução

01A01-601A01-601A01-601A01-601A01-6 MF Série 200

-Jamais permaneça sob cargas suspensas. Por mais seguro que seja o equipamento de levante, não convém arriscar!

-Não deixe o motor funcionar em ambiente fechado e não ventilado. Os gases tóxicos podem asfixiá-lo em poucos minutos.

-Não fume no local de trabalho: há sempre o risco de incêndio devido a grande variedade de produtos inflamáveis.

-Não use cabelos compridos ou soltos, bem como roupas soltas e folgadas. Estas partes, ao entrar em contato com peças em movimento podem ocasionar acidentes sérios.

-Antes de acionar o motor de algum trator, certifique-se de que não haja ninguém trabalhando no mesmo. Verifique também se não há ferramentas ou outros utensílios sob o trator.

Utilize um cartão de advertência, fixado no painel, para evitar que alguém acione o motor estando este com partes removidas.

Fig. 10

Não acione o Motor!!

Fig. 9

Fig. 8 Fig. 7

01A01-701A01-701A01-701A01-701A01-7MF Série 200

Introdução

01D. Técnicas adequadas de trabalho na oficina

A maioria dos procedimentos de reparos e serviços recomendados nas distintas partes deste Manual, estão descritos considerando que o conjunto a reparar está completamente desmontado e retirado da máquina.

Muitos serviços, de certas peças em particular podem ser feitos sem sacar o conjunto completo da máquina. O mecânico determinará a necessidade de sacá-lo ou não, ao levar em consideração o grau e extensão dos serviços necessários e o grau de dificuldade de acesso.

Os seguintes são pontos importantes que devem ser lembrados e postos em prática.

Identificar a avaria e limpar a máquina antes de desmontá-la (Fig. 1)

Se for possível fazer um diagnóstico completo para determinar a extensão do reparo que deve ser feito, tome todas as precauções necessárias para evitar com segurança que qualquer material estranho entre nos sistemas hidráulicos, de alimentação de combustível ou ar.

Não misture as peças (Fig. 12)

Fique atento durante a desmontagem, observando as peças especiais que não podem ser trocadas de posição. Separe os diferentes parafusos e porcas em "bandejões" com divisões e base inferior em forma de grade para permitir o escoamento do óleo e da água de lavagem.

Inspecione as peças durante a desmontagem limpando-as bem

Fixe etiquetas nas peças e proteja as superfícies de precisão ou polidas

Uso de Peças de Reposição Originais MF

A utilização de peças de reposição não recomendadas podem ser fonte de grandes problemas.

Não acredite que todas as peças que se parecem são iguais. Algumas peças tem propriedades especiais, conhecidas unicamente pelo fabricante. São o resultado de requisitos especiais estabelecidos por intensas investigações e provas de engenharia e da experiência de campo.

Fig. 1

Fig. 12

A AGCO mantém um programa constante de melhorias nas peças. Muitas destas melhorias não podem ser detectadas por comparação visual.

Por isso, é vital que se utilize unicamente peças de reposição legítimas.

Introdução

01A01-801A01-801A01-801A01-801A01-8 MF Série 200

Regra de tensionamento de correias e correntes

Para verificar o tensionamento de correias, siga sempre a seguinte regra:

Aplica-se uma carga de 10 a 15 Kg no centro da maior distância entre apoios.

A deflexão encontrada nas correias ou correntes deverá ser de 1 a 2% desta distância.

No caso de correntes, aplique uma força suficiente para trazer toda a deflexão para um dos lados: a deflexão também deve ser de 1 a 2% da distância entre centros.

Montagem de buchas, retentores e rolamentos com interferência

Utilize sempre a ferramenta especial para esta finalidade. Sempre que necessário, aplique o esforço, através de prensa.

A improvisação nestes casos resulta, além da perda de tempo, na danificação das peças, que fatalmente apresentarão problemas na operação.

No caso das buchas, após a montagem verifique o diâmetro interno (ou externo se for o caso) e faça o ajuste se necessário, com base nas especificações técnicas de folga para cada caso.

Use sacadores apropriados para sacar polias, cubos e engrenagens

O uso de marretas e alavancas, além do risco de danificar as peças, podem exigir muito mais tempo na operação!

OBS: use um protetor para a extremidade do eixo.

Utilize sempre a ferramenta correta para cada caso

Poupar alguns passos para buscar a chave certa pode resultar em perdas de tempo bem maiores, após danificar um sextavado, uma fenda...

Força de 10 a 15 kgf Deflexão de 1 a 2 %

Distância entre centros

Fig. 13 Deflexão

Montando uma buchaMontando um retentor Fig. 14

Fig. 15

Fig. 16

01A01-901A01-901A01-901A01-901A01-9MF Série 200

Introdução

Para remover um prisioneiro que quebrou dentro do furo

Faça um furo com diâmetro aproximadamente a metade do diâmetro do prisioneiro quebrado e use um extrator como o da figura, com rosca contrária à do prisioneiro.

Em seguida, remova o prisioneiro, girando o extrator no sentido anti-horário (caso de rosca direita).

Ao montar prisioneiros ou parafusos em furos não passantes, certifique-se de que não haja óleo ou outras impurezas no furo. O óleo forma um calço hidráulico que pode trincar a carcaça.

Para remover uma porca encravada

Há diversas formas, dependendo da situação. Em qualquer caso, não devem ser causados danos às peças vizinhas.

Fig. 17

1 -Usando talhadeira 2 -Com "spliter" 3 -Aquecimento

Fig. 18

Introdução

01A01-1001A01-1001A01-1001A01-1001A01-10 MF Série 200

01Travamento correto de porcas e parafusos Com cupilha ou outro meio, observe o estado dos mesmos. É recomendável que sejam sempre substituídos em caso de desmontagem.

Como impedir que parafusos ou porcas se afrouxem com a vibração normal que o trabalho impõe

Há diversas formas e o bom senso e a prática indicarão a melhor forma para cada caso.

Sempre exerça força nas chaves no sentido puxar a alavanca

Evite empurrar, pois nos casos em que a chave escape, você pode sofrer ferimentos nas mãos.

Use as chaves de boca de forma correta

Trabalhando com a chave invertida, ocorre um esforço maior na estrutura da mesma.

Não improvise.

Fig. 21

Fig. 19

Fig. 20

01A01-1101A01-1101A01-1101A01-1101A01-11MF Série 200

Introdução

Somente no caso de remover parafusos de difícil acesso, use a chave de boca nas duas inclinações, alternadamente, até soltar o parafuso ou porca.

Para remoção de porcas de tubos injetores

É preferível usar chave tipo "estrela"; Mas para isto você deve fazer uma abertura de passagem para o tubo. Reserve esta chave somente para este fim.

Para montar peças com interferência

Procure sempre fazer o aquecimento das peças externas (rolamentos, cubos...) e/ou o resfriamento das peças internas (eixos, sedes e guias de válvulas, etc).

Este procedimento, além de facilitar a montagem, evita a danificação das peças, uma vez que frias estas se contraem e aquecidas se expandem (dilatam).

O aquecimento nunca deve ser feito sob a ação de fogo direto sobre as peças, pois isto as torna frágeis.

Deve-se usar óleo aquecido à 80 a 90 graus centígrados ou aquecimento por indução elétrica.

O resfriamento pode ser feito num freezer ou colocando a peça num recipiente contendo gelo seco ou gelo comum.

Fig. 23 Fig. 24

Fig. 22B

Fig. 25

Introdução

01A01-1201A01-1201A01-1201A01-1201A01-12 MF Série 200

01Ao realizar soldas Além de desconectar a bateria, atente para o seguinte detalhe: Fixe o terminal negativo ( - ) do aparelho de solda na própria peça que está sendo soldada (+). Isto é para evitar que a elevada corrente atravesse componentes como rolamentos, que sofrem danos com este procedimento.

Na montagem de retentores, use sempre uma ferramenta especial para este fim

Para assegurar uma montagem em posição correta e evitar danos ao retentor. Do contrário, haverá risco de vazamento após as primeiras horas de trabalho. Além disso, o alojamento do retentor precisa estar isento de impurezas. Lubrifique o lábio do retentor. Cuidado também deve ser tomado na montagem quando o retentor é atravessado por um eixo estriado, um rasgo de chaveta, etc. Ao menor sinal de corte no lábio, surgem vazamentos.

Remoção e instalação de rolamentos

Para remover rolamentos, utilize sacadores adequados.

É importante que o sacador se apoie na pista que se encontra montada com interferência, evitando que as esferas ou roletes sejam danificados.

Na montagem:

-Não bata diretamente com o martelo sobre o rolamento na sua montagem. Utilize uma ferramenta apropriada em forma de copo ou disco.

-Na montagem de rolamentos sobre eixos, pressione a pista interna e na montagem de rolamentos em furos, pressione a pista externa.

Fig. 26

Fig. 27

Fig. 28 Fig. 29

01A01-1301A01-1301A01-1301A01-1301A01-13MF Série 200

Introdução

01Proteção de conjuntos desmontados Se a máquina tiver que permanecer desmontada por algum tempo, organize as peças e proteja-as contra o pó e à umidade.

Mantenha as peças novas em suas embalagens até o momento em que forem utilizadas.

Na montagem, certifique-se de que as peças estão perfeitamente limpas, sem nenhum furo ou galeria obstruida.

As conexões, tubos e terminais da bomba injetora e bicos, devem ser tampadas para evitar a entrada de impurezas.

O mesmo tratamento deve ser dado ao turbocompressor, coletores de admissão e escape, etc.

Precisão e garantia nos ajustes

Na montagem, complete cada passo da montagem. Termine a montagem de uma peça ou componente antes de partir para a seguinte.

Faça todos os ajustes recomendados.

Verifique quantas vezes for necessário, para certificar-se da exatidão dos procedimentos efetuados.

(Parte 1 de 3)

Comentários