Introdução a Financas-aula1-1

Introdução a Financas-aula1-1

(Parte 1 de 4)

Grupo Educacional Anglo-Americano

MBA Executivo em Gerenciamento de Projetos

Introdução a Introdução a Finanças

M.Sc. Sílvio Marcos Carvalho carvalhos ml@g mail.co m

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO A FINANÇAS CARGA HORÁRIA: 12 h/a.

E menta

Juros: simples e composto. Desconto: Racional simples e composto; comercial simples e composto. Anuidades e Plano de Amortização. Equivalência de fluxos de caixa. Séries uniformes de pagamentos. Uso de tabelas financeiras. Princípios de Análise de Inve sti mentos.

Mate mática Financeira Mate mática FinanceiraMate mática Financeira Mate mática Financeira

Mate mática Financeira

O princípio fundamental da matemática financeira é que existe valor do financeira é que existe valor do dinheiro no tempo. Um real hoje vale mais do que um real no futuro.

Mate mática Financeira

Analisa operações de caráter financeiro que envolva m entradas e saídas de dinheiro ocorridas e m mo mentos distintos, ou seja:

Estuda ovalor do dinheiro aolongo dote mpo

A Mate mática Financeira é u ma ferra menta de auxílio à to mada de decisão financeira óti ma(visa m à maxi mização dariqueza)

Fluxo de Caixa

Entradas Líquidas de Caixa –FC1 , FC

FC1 FC2 FC4 FC

Saídas Líquidas de Caixa –FC 0 e FC 3

0 3Períodos

Capital, Juros e Montante

As operações financeiras, por exemplo, empréstimos, envolvem pelo menos 2 valores:

O valor que o devedor devedordevedor devedor(tomador de recursos) necessita, e;necessita, e;

O valor a ser devolvido ao credor credorcredor credorao término do prazo da operação

É natural que o credor cobre do devedor uma quantia equivalente à remuneração que o primeiro receberia numa melhor oportunidade de emprego desses recursos

Capital, Juros e Montante

As operações financeiras, por exemplo, empréstimos, envolvem pelo menos 2 valores:

O valor que o devedor devedordevedor devedor(tomador de recursos) necessita, e;necessita, e;

O valor a ser devolvido ao credor credorcredor credorao término do prazo da operação

É natural que o credor cobre do devedor uma quantia equivalente à remuneração que o primeiro receberia numa melhor oportunidade de emprego desses recursos

Capital, Juros e Montante

Jurosé a quantidade cobrada pelo credor ao tomador de recursos pelo uso do seu capital, denominado Capital Inicialou Principal, por um período determinado.um período determinado.

Findo esse período, o credor passa a possuir um novo capital, denominado Montante, que nada mais é que o capital inicial mais os juros

Capital, Juros e Montante

0Períodos

data inicial Montante 1234n(unid tempo)

MontanteouValor Futuro= FV CapitalouValor Presente= PV Juros= J

Relação fundamental de equivalência de capitais:

Capitaldata futura

Taxa de Juros (i)

Taxa de Juros (interest rate) é o coefi- ciente que calcula o valor dos juros em um períodoum período

O processo de incorporação deste juro ao capital é denominado capitalização, e pode ser por 2 métodos (regimes):

Regime de juros simples Regime de juros compostos

Taxa de Juros

A taxa de juros i i icaracteriza o valor do aluguel

Juros J

Principal PV i ==

A taxa de juros i i icaracteriza o valor do aluguel do dinheiro por um determinado período

Pode ser expressa nas seguintes formas equivalentes:

forma percentual forma unitária (forma percentual dividido por 100)

Taxa de Juros

PV PV PV -1i =i =i =

Equivalência de Capitais

(Parte 1 de 4)

Comentários