Esterilização e desinfecção

Esterilização e desinfecção

Esterilização e desinfecção Esterilização e desinfecção

História

Introduz a higienizaçãohospitalar: -Lavagem de mãos

-Lavagem de material cirúrgico

-Lavagem de feridas com fenol -Operações sob aerossóis de fenol

Introdução da cirurgia asséptica

Definições

•Esterilização: destruição ou remoção total dos microrganis mos

•Desinfecção: destruição ou remoção de patogéneos (forma vegetativa)

•Anti-sepsia: desinfecção da pele, mucosas ou tecidos

•Agentes biocidas: morte dos microrganismos

•Agentes biostáticos: inibição do crescimento

Métodos de esterilização e desinfecção Factores que influenciam o crescimento microbiano

• Te mperatura •Tipo de microrganismo

•Fase de crescimento

• A mbiente

Resistência aos métodos de esterilização e desinfecção Resistência aos métodos de esterilização e desinfecção

Métodos de esterilização e desinfecção Métodos Físicos

Métodos Químicos

• Calor

• Filtração • Radiação

– Hú mido – Seco

– Ionizante – Não-ionizante

Compostos fenólicos, álcoois, óxido de etileno, halogéneos, peróxido de hidrogénio, etc.

Métodos de esterilização e desinfecção–Modos de acção

Lesão dos ácidos nucleicos

Desnaturação das proteínas

Inibição do metabolismo Ruptura da membrana celular

Métodos físicos –Calor

Calor húmido •Fervura (100ºC, 10min) material cirúrgico, soluções ter mo-estáveis não inactiva endosporos e alguns vírus.

Esterilização

Desnaturação das proteínas e quebra de pontes de H

Métodos físicos –Calor

Calor seco •Esterilização por ar quente (170ºC, 2h)

• Incineração

• Cha ma material de vidro, agulhas descontaminação em grande escala

Esterilização

Actua por oxidação

Métodos físicos –Filtração

Filtração filtros desde 0,01 a 0,3 µm filtros HEPA

Desinfecção/ Esterilização meios de cultura, enzimas, vacinas, antibióticos

Métodos físicos –Radiação

Radiação –Ionizante

– Não-ionizante

•raios γ •raios X

•raios catódicos

• micro-ondas fármacos, soro, vacinas e material médico ar em ambientes fechados

Radicais livres muito reactivos

Lesão do DNA

Métodos de esterilização e desinfecção

Métodos químicos

•Óxido de etileno • Aldeídos

•Agentes oxidantes

• Halogéneos

• Co mpostos fenólicos

•Compostos quaternários de amónia

• Álcoois

Métodos químicos

Óxido de etileno gás incolor solúvel em água

Acção lenta, mas muito eficaz!

Esterilização concentração hu midade tempo (4 a 18h) te mperatura muito penetrante

Material espacial!

Material hospitalar de plástico, têxtil, próteses válvulares, endoscópios

Liga-se a grupos funcionais (-SH;- COOH; -OH).

Métodos químicos

Aldeídos líquido

• For maldeído • Glutaraldeído mais eficaz e menos tóxico inactivo na presença de matéria orgânica

Material hospitalar ter mo-sensível:

- médico

-cirúrgico Esterilização

Utilizado para embalsamar

Carcinogénico! Esterilização de filtros HEPA.

Actuam por alquilação.

Métodos químicos Agentes oxidantes

•Péroxidode hidrogénio (3 a 25%) • Ozono

Implantes, próteses cirúrgicas, lentes de contacto, equipamento de diálise, superfícies

Desinfecção

Importante para feridas profundas e cavidade oral presença de anaeróbios elevadas concentrações quando na presença de Catalase formação de radicais livres

Métodos químicos

Halogéneos •Composto de iodo

•Compostos de cloro

Cl2 HOCl OCl

Iodóforo água e utensílios de cozinha LIXÍVIA

Muito usado como antiséptico– não étóxico para pele e mucosas.

Betadine ® e Isodine ®

Eficaz contra bactérias, vírus e alguns endosporos, mas as Ps e u d o m o n as pode m sobreviver!

Uso generalizado como desinfectante muito eficaz! esporos podem resistir

Métodos químicos

Halogéneos •Iodo

Cl2 –oxida irreversivelmente o grupo sulfidril

HOCl

OCl 2

Perdem eficiência na presença de matéria orgânica.

•Compostos de Cloro

Liga-se àtirosinae oxida o grupo sulfidril(-SH) de a minoácidos essenciais.

Ligam-se a compostos azotados e interferem com o metabolismo celular

Métodos químicos

Compostos fenólicos Hoje em dia pouco uso!

Interesse comparativo – Coeficiente de Fenol

Quebra membranas lipídicas e desnatura proteínas.

Material com pus, saliva, fezes – lençóis e roupa hospitalar. Superfícies. Pele e mucosas.

Não perdem eficiência na presença de matéria orgânica.

Activos contra bactérias gram+, mycobacteriume vírus com invólucro.

• Fenol

• Derivados:

Irritantes para a pele e odor desagradável.

Desinfecção Anti-sepsia

Lysol® pHisoHex ®

Métodos químicos Compostos quaternários de amónia

Maior actividade com 8 a 18 C.

Activos contra bactérias gram+ e vírus com invólucro.

Perdem eficiência na presença de matéria orgânica.

Desinfecção Anti-sepsia Aplicação oral

Métodos químicos

Álcoois Mais usados

Etanol Isopropanol

Actuam rapidamentecontra bactérias, mycobacterium, alguns fungos e vírus com invólucro.

São mais activos na presença de água (70%).

Desnaturam as proteínas e dissolvem os lípidos.

Desinfecção do termómetro, estetoscópio e da pele antes de uma punção venosa.

Desinfecção Anti-sepsia

Evaporação rápida!

Métodos de esterilização e desinfecção Esterilização

Métodos de esterilização e desinfecção Desinfecção

Reduzida

Elevada Inter média

Métodos de esterilização e desinfecção

Anti-sepsia

Lavagem de feridas e pele pré-operatório.

Lavagem de mãos e antebraços do cirurgião.

Lavagem de mãos

Desodorizantes e pasta de dentes

Métodos de esterilização e desinfecção

Rápido

Eficaz contra todos microrganismos

Não tóxico

De fácil penetração

Estável

Aplicável a vários materiais e tecido humano

Sem odor e cor Custo reduzido

Método ideal:

Comentários