(Parte 1 de 6)

A Ajuda Começa Aqui

Aos pais de crianças portadoras de Deficiência Mental e Transtornos Abrangentes do Desenvolvimento

Uma iniciativa:

Índice

Como este guia pode ajudá-lo3
O Portador de Necessidades Especiais4

Introdução

1º a 6º mês4
6º a 18º mês5
18º a 24º mês6
Distúrbios do Desenvolvimento Infantil6
Como ajudar seu filho6

Desenvolvimento Infantil

Atendimentos médicos7
Atendimentos clínicos8
Atendimento escolar8
Oficinas Pedagógicas ou Oficinas de Trabalho Protegido9
Atendimentos Complementares9

Onde esclarecer dúvidas, a quem procurar?

Hospitais / Universidades1
Outras Instituições (Particulares / Associações)12
Residências e Comunidades15
Oficinas de Trabalho16
Colônias de Férias16
Literatura indicada17
Sites sobre assuntos relacionados18
Filmes sobre deficiência18

Algumas Possibilidades de Atendimento Glossário ........................................................................................................................................... 19

Fizemos este Guia com o objetivo de fornecer uma orientação inicial básica para os Pais que, tendo um filho portador de necessidades especiais, muitas vezes, ficam sem saber qual deverá ser o encaminhamento para o tratamento mais adequado.

É muito difícil para nós escrever sobre sentimentos e necessidades, e não temos aqui, a pretensão de abranger toda a complexidade do assunto, mas sim auxiliá-lo nos primeiros passos para compreender um pouco mais as necessidades de seu filho. A presença de uma pessoa portadora de deficiência na família exigirá uma redefinição de papéis, mudanças de atitudes, valores e novos estilos de vida, ou seja, a família terá que lidar não somente com as pressões internas, mas também com aquelas exercidas pelas forças sociais externas.

A família passa por várias fases neste processo de compreensão / adaptação / aceitação do filho deficiente, e a partir do momento em que começa a perceber as necessidades da criança, inicia uma busca por informação, esclarecimentos e orientações. Após o choque inicual, a família deve procurar observar de forma realista o estado de evolução de seu filho e buscar mecanismos que o ajudem a desenvolver ao máximo sua capacidade.

Você poderá encontrar aqui algumas respostas às suas ansiedades e também obter uma orientação inicial de como procurar um profissional ou a instituição mais adequados.

Lembre-se, a menos que você diga, ninguém saberá que você e sua criança precisam de ajuda.

Crianças com deficiência reagem a menos estímulos do ambiente, e suas respostas a estes estímulos são demoradas, necessitando de trabalho contínuo para que possam tirar proveito das experiências. Assim, desde o início, a criança e sua família ficam em contato com diversos profissionais ligados à área de saúde e educação, que, cada qual na sua especialidade, pode oferecer orientações quanto aos cuidados necessários, além de estímulos adequados, como higienização, alimentação, comunicação e acima de tudo, facilitar o dia-a-dia da família. A educação e o suporte familiar são os fatores mais importantes no desenvolvimento da criança deficiente.

escreva para a Indianópolis ComvidaFaremos o possível para atendê-lo.

Talvez você necessite de mais informações além das contidas aqui neste pequeno livreto. Se precisar,

Comvida Associação Assistencial

Site: w.comvida.org.bre-mail: comvida@comvida.org.br

Av. Antonio de Macedo Soares, 414 Cep 04607-0 Campo Belo SP (0xx11) 5543.6333

A Comvida tem como objetivo dar apoio e atendimento às crianças e adolescentes com necessidades especiais, mais particularmente à criança excepcional. Visa também orientar pessoas que necessitam informações sobre atendimento especializado nas áreas de saúde e psicopedagogia.

A deficiência compreende uma anomalia do corpo humano, podendo ser longa ou permanente, que de alguma forma dificulta ou impede o indivíduo na realização de determinadas ações. Assim, pode causar certa incapacidade no rendimento de suas atividades. Esta incapacidade gera limitações como diminuição de autonomia, mobilidade, atividades de lazer, integração social, independência e conduta.

Deficiência Mental e Transtorno Abrangente do Desenvolvimento

Os tipos de deficiência são: Física, Mental, Auditiva, Visual e Múltipla. O termo “Portador de Necessidades Especiais” abrange todos os tipos de deficiência, uma vez que todos os deficientes, sejam eles mentais ou físicos, possuem necessidades diferentes. Neste guia abordaremos apenas os assuntos relacionados à

Existem características comuns ao desenvolvimento de todas as crianças consideradas normais. Assim sendo, podem ser estabelecidos certos padrões esperados para cada idade.

É importante lembrar que as crianças herdam características de seus pais, mas são também influenciadas pelas experiências proporcionadas pelo ambiente em que vivem. Seu desenvolvimento, portanto, está condicionado por diversos fatores.

A seqüência apresentada a seguir aborda alguns aspectos do desenvolvimento normal e possibilita a identificação da fase em que seu filho se encontra.

Fases do Desenvolvimento Infantil

1º mês 2º a 3º mês Não sustenta a cabeça; Mãos fechadas; Membros inferiores em flexão; Movimentos reflexos; Reflexos de sucção; Sorriso reflexo de satisfação interna.

Pode manter a cabeça reta; Apresenta movimentos oculares; Ergue a cabeça a 45 graus; A mão pode ser aberta passivamente; Acompanha com os olhos objetos próximos; Segura objeto colocado na mão; Volta a cabeça para sons suaves.

3º mês 3º a 4º mês

Sustenta melhor a cabeça; Ergue a cabeça a 90 graus, estando de bruços;

Apoia-se sobre o ante braço, cotovelos e dedos flexionados;

Mãos abertas - busca com as mãos; Vê, brinca, suga dedos e mãos.

Controla a cabeça;

Pega objetos com a mão inteira quando oferecidos (preensão palmar);

Tenta alcançar objetos e freqüentemente erra o alvo; Ri alto.

4º a 5º mês 5º a 6º mês

Mantido na vertical sustenta parte do peso e dá pulinhos no colo;

Solta objetos que estão nas mãos; Manipula com as duas mãos ao mesmo tempo; Olha ao redor; Leva tudo à boca; Solta um objeto quando é oferecido outro.

Ergue a cabeça e os ombros; Apoia-se com os braços e com as mãos estendidas; Estando de barriga para baixo vira-se para cima; Mantido na vertical salta na ponta dos dedos; Transfere os objetos de uma mão para outra; Segura os pés; Olha objetos e busca alcançá-los.

6º a 7º mês 7º a 8º mês

Estando de barriga para cima vira para baixo; Alcança e agarra tudo; Bate objetos;

Olhos acompanham rapidamente mudando o foco;

Percebe texturas diferentes com a ponta dos dedos;

Sorri para a própria imagem no espelho.

Protege-se quando sente que vai cair;

Senta por algum tempo com costas retas e apoio das mãos;

Segura dois objetos; Atira tudo para o chão; Procura objetos que caem;

Mantido na vertical fica em pé e realiza movimentos de marcha.

8º a 9º mês 9º a 10º mês

Rasteja sobre o abdomen; Senta por longo tempo; Inclina-se para frente e para o lado; Inicia preensão com os dedos; Brinca de dar e pegar;

Olha cuidadosamente para as coisas antes de tentar alcançá-las;

Compreende uma palavra isolada; Estende os braços para ser carregado;

(Parte 1 de 6)

Comentários