DISFAGIA Não é uma doença, mas um sintoma caracterizado pela sensação ciente e não dolorosa da deglutição dificultosa dos alimentos pelo esôfago.

Etiologia

  • Doenças neurológicas

  • Anomalias dos Sistemas respiratório e digestório

  • Infecções

  • Alimentação inadequada

  • RGE- Fatores anatômicos e funcionais

  • Idade avançada (qdo associada a outras alterações).

Tipos de Disfagia

  • Disfagia Orofaríngea

  • Disfagia Esofágica

  • Classificam em: - Neurogênica: causada por doenças neurológicas ou traumas; - Mecânica: traumas, inflamações agudas dos tecidos da orofaringe, câncer da região de cabeça e pescoço, ressecções cirúrgicas etc.; - Decorrente da idade: processo natural de envelhecimento; - Psicogênica: manifestação da disfagia por quadros ansiosos ou depressivos; - Induzida por drogas: alguns medicamentos podem desencadear disfagia como efeito colateral

Avaliação

  • Fornece: informações p/ a reabilitação e orientação da alimentação segura.

  • Verifica: aspectos de mobilidade, sensibilidade e funcionalidade

Como Avaliar

  • Anamnese

  • Estado de alerta do paciente

  • Compreensão

  • Dieta

  • Sucção

  • Postura

  • Tonus

  • Reflexos

  • Paladar

  • Posição das E.E

  • Voz, ressonância

  • Deglutição

Reabilitação

  • Tratamento – med,cir,fon.

  • A escolha das técnicas depende:

  • Do estado cognitivo do paciente

  • Do grau da Disfagia

  • Das fases afetadas

  • Do tempo de início da doença de base

Tecnicas Aplicadas

  • Téc. Passivas

  • Visam:

  • Adequação do tônus geral e orofacial.

  • Estimulação sensorial digital

  • Estimulação tátil-cinestésica

Visam:

  • Visam:

  • Preparar o SE para a introdução dos alimentos.

  • Incluem:

  • Téc. de resistência e melhora do tônus EE

  • Aumento da mobilidade laríngea

  • Exercícios de adução das PPVV.

  • Estimulação térmica

Téc. Ativas

  • Consistem em realizar manobras para facilitar a deglutição, impedir aspiração e limpar os resíduos faríngeos.

  • Técnicas:

  • Cabeça virada p/ lado afetado

  • Queixo inclinada para baixo( proteção das VAS).

  • Sucção controlada – canudo

  • Higiene da cav. Oral.

Obrigada Maria Luiza Severo Locatelli Fonoaudiologa

Comentários