Estudo químicoquântico semiempírico e ab initio da relação estrutura eletrônica-atividade biológica dos diterpenos isolados de Stemodia foliosa

Estudo químicoquântico semiempírico e ab initio da relação estrutura...

Sociedade Brasileira de Química (SBQ)

33Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química

Estudo químicoquântico semiempírico e ab initio da relação estrutura eletrônica-atividade biológica dos diterpenos isolados de Stemodia foliosa.

Eriosvaldo Florentino Gusmão1* (IC), José Cândido Selva de Oliveira2 (PG), Lourinalda Luiza Dantas da Silva Selva de Oliveira1 (PQ) e Cíntia Beatriz de Oliveira1 (PQ).

1*- Unidade Acadêmica de Serra Talhada - UFRPE/UAST, 2- Laboratório de Pesquisa em Produtos Naturais; IQ -

UFBA. eriosvaldo.gusmao@gmail.com

Palavras Chave: Semi-empirico, diterpenos, Stemodia foliosa Benth. Introdução

Do ponto de vista fitoquímico só duas espécies deste gênero Stemodia têm sido estudadas, S. maritma e S. chilensis das quais foram isoladas substâncias diterpênicas tetracíclicas de núcleo estemodano. Estes diterpenóides apresentam atividade antiviral, inclusive para o vírus HIV1-2 . A partir da Stemodia foliosa Benth foram isoladas substâncias de natureza terpênica, como diterpenos de núcleo labdano, produzidas apenas por esta espécie, e aromática, apresentando atividades biológicas, sendo a principal a antimicrobiana3 .

Neste trabalho, apresentamos o estudo químicoquântico semiempirico e ab initio da relação estrutura eletrônica-atividade biológica para os diterpenos isolados de S.foliosa.

Resultados e Discussão

Realizou-se um estudo comparativo entre os programas Gaussian 03 W4 e HyperChem 7.5 for

Windows5 . O GaussView 3.04 também foi utilizado para a visualização dos resultados do Gaussian. Utilizando esses softwares, foi possível correlacionar a estrutura eletrônica com a atividade biológica das moléculas de interesse. Cálculos ab initio foram feitos pelo Gaussian, através do método Hartree-Fock-Roothaan (RHF)6 A geometria molecular foi otimizada a partir de dados coletados da espectroscopia RMN. A partir desses dados, a otimização total das geometrias foi computada, utilizando-se o algoritmo de otimização de Berny7 com o critério de convergência "pesado" utilizado nos cálculos do campo autoconsistente. O momento de dipolo foi calculado a partir de cargas atômicas derivadas do potencial eletrostático8 para identificação das características estereoeletrônicas responsáveis pela atividade biológica das moléculas estudadas. Pelo HyperChem calculamos as mesmas estruturas moleculares, através do método semiempirico AM19 , que também faz uso das bases matemáticas do campo autoconsistente. Analisando os resultados, verifica-se que as moléculas ativas SF2 e SF3 apresentam componentes positivas do momento de dipolo no eixo de coordenadas Y, ao contrário da molécula não ativa SF1, a qual apresenta componente negativa no eixo Y. A metilação da molécula SF3, produzindo a SF4, preserva a componente positiva do momento de dipolo no eixo Y, indicando a possibilidade de haver atividade biológica nesta molécula. Devido ao fato de possuirmos poucas moléculas de terpenos para estudarmos, não pudemos avaliar a influência das componentes X e Z na atividade biológica da molécula SF4.

Figura 1: Esqueleto dos diterpenos em estudo e seus respectivos radicais (OR).

Conclusões

Através dos resultados obtidos por ambos os programas, verificou-se que o momento de dipolo pode ser correlacionado com a atividade biológica dos terpenos, ressaltando a importância dessa propriedade molecular nesse tipo de atividade.

Agradecimentos

Ao professor Dr. Kelson Mota Teixeira de Oliveira, da Universidade Federal do Amazonas, pelos programas Gaussian e GaussView.

SF1 - COCH3 SF2 - COCH2COOCH2CH2CH2CH3 SF3 - COCH2COOH SF4 - CH2COOCH3

Comentários