(Parte 5 de 6)

Será necessário fornecer definições claras para as categorias que forem utilizadas (as quais não precisam ser necessariamente as enumeradas no exemplo acima) e talvez não seja possível prever cifras (especialmente as que se referem à renda) com precisão. O plano diretor, porém, deve oferecer prova de que existe realmente um plano digno de crédito e realista para o seu museu.

As áreas chaves a serem examinadas em um diagnóstico externo são as seguintes:

1. Direção:

Exemplos: Será que a direção de seu museu vai ser substituída em futuro previsível? É possível que o(s) diretor(es) substituído(s) seja(m) reconduzido(s)? O museu gozará de maior ou menor autonomia? Que mudanças isso causará?

2. Política:

Exemplos: Que efeito teria sobre o seu museu uma mudança de governo? Até que ponto o museu depende da administração atual para obter verbas? Que impacto teria uma mudança de poder dentro do governo local? Levaria isso também a uma mudança com relação à prestação de serviços diretos, ao apoio a grupos independentes de voluntários, ou em relação aos tipos de serviços que são considerados prioritários?

3. Legislação: Exemplos: Existe alguma lei importante para ser aprovada que poderia ter um impacto direto sobre o que você faz? E o que é mais comum, existe alguma legislação que aparentemente nada tem que ver com isso e que poderá trazer conseqüências não previstas para você?

Elaborando o Plano Diretor / 39

4. Social e demográfica: Exemplos: Você antecipa alguma mudança social ou demográfica que poderia ter um impacto sobre os seus serviços? Quais são as principais mudanças previstas e como você gostaria de reagir a elas, ou esperaria fazê-lo?

5. Economia e planejamento: Exemplos: Existem mudanças que estejam para ocorrer na economia local que possam ter efeito sobre seus visitantes? Poderá haver um deslocamento, por exemplo, dos locais de compra do centro da cidade para centros comerciais localizados fora da cidade? Que conseqüências isso poderia trazer para o museu? Existem planos para grandes mudanças em termos de reurbanização ou zoneamento que possam afetar o museu ou das quais este gostaria de participar?

6. Mercados: Exemplos: Que oportunidades de mercado talvez se apresentem? Quais são as tendências quanto a público e geração de receita? Quem são os seus concorrentes e será que essa concorrência vai tornar-se mais forte?

7. Tecnologia: Exemplos: Que inovações tecnológicas poderão afetá-lo ou se tornar disponíveis para o museu?

8. Padrões de desempenho: Exemplos: A que padrões externos você talvez tenha que se adaptar ou venha a aspirar?

Toda essa análise poderá ser demorada (e difícil), mas, quando você juntar tudo, terá uma visão valiosa das questõeschaves que atualmente afetam, ou que provavelmente virão a afetar o seu museu no futuro. Essas questões lhe indicarão

40 / Plano Diretor quais são os fatores críticos de sucesso para o seu museu: aquilo que terá que fazer direito se quiser alcançar suas metas e ser considerado um sucesso. Quando isso tudo houver sido identificado, estará pronto para formular sua estratégia, ou definir como tenciona lidar com tudo aquilo que descobriu.

Elaborando o Plano Diretor / 41

Após o diagnóstico da situação atual, precisamos chegar a um acordo quanto às metas estratégicas. Há um pequeno número de metas essenciais que sempre irão ser importantes para o museu ou que, no mínimo, o serão em um futuro previsível. Espera-se que, pelo menos, seja possível reconhecer ligações diretas entre os elementos da missão e as metas estratégicas.

As metas estratégicas precisam ser alcançáveis, mas não necessariamente a curto prazo. Uma das metas do museu, por exemplo, poderá ser uma reforma completa em seus espaços para exposições, mas isso talvez leve dez anos. De outro lado, uma meta estratégica poder durar indefinidamente,

Missão

Diagnóstico externoDiagnóstico da situação atualDiagnóstico interno

Metas estratégicas

Estratégia

Questões essenciais

Propostas Escolhas

Objetivos

O Plano

Implantação Avaliação do

Desempenho

42 / Plano Diretor como, por exemplo, buscar “fazer uma contribuição valiosa” para a vida cultural da cidade. Este é um objetivo permanente, na qual a medida de seu alcance estará mais bem definida nos objetivos anuais.

• Devem ser poucas e verdadeiramente estratégicas. • Devem ser o resultado de um consenso obtido por meio de ampla consulta dentro e fora do museu. • Devem ser realistas e atingíveis.

• Devem ser tão específicas quanto possível.

• Devem estar relacionadas às áreas de atividades essenciais do museu.

Cada meta estratégica estará, provavelmente, relacionada a uma área de atividade essencial do museu, por exemplo:

• Gerenciamento do acervo. • Acesso ao acervo e serviços.

• Contribuição social/comunitária.

• Educação/extensão.

• Gestão de recursos.

• Satisfazer as aspirações/interesses dos principais parceiros ou colaboradores.

Em museus administrados pelo governo, é importante (e representa um uso eficiente de seu tempo) assegurar “concordância” entre metas estratégicas contidas no plano diretor e declarações semelhantes incluídas em outros documentos, tais como políticas públicas.

A maioria das equipes que trabalha em museus tem pouca dificuldade em chegar a um acordo sobre quais são as áreas de

Elaborando o Plano Diretor / 43 atividades essenciais ou básicas do museu. Bem mais difícil é distribuir recursos limitados entre as diversas metas e financiar a melhor maneira (ou maneiras) para atingir as metas. É nesse momento que o museu precisa discutir sua estratégia (ou estratégias) para alcançar suas metas, constituindo essa a parte seguinte do processo de planejamento.

4 / Plano Diretor

Estratégia tem a ver com traduzir sua missão e metas estratégicas em ação bem-sucedida. É só isso. Infelizmente, é esta, na realidade, a parte mais difícil do processo de elaboração de um plano diretor. Isso porque não existem fórmulas ou conjuntos de regras simples que garantam o sucesso. Além do mais, ter um plano pode ajudar, mas não é por si só uma garantia de sucesso. Afinal, por que então nos preocuparmos com a parte da “estratégia”? A razão é que isso nos ajudará a reduzir a incerteza.

Todos vivemos em um mundo incerto. Os museus não são exceção. Desenvolver uma estratégia para levar a instituição

Missão

Diagnóstico externoDiagnóstico da situação atualDiagnóstico interno

Metas estratégicas

Estratégia

Questões essenciais

Propostas Escolhas

(Parte 5 de 6)

Comentários