Mezzosoprano

Mezzosoprano

Mezzosoprano

Mezzo é a voz feminina intermédia entre o soprano e o contralto. O mezzo geralmente apresenta um timbre mais encorpado que o soprano e tem uma extensão maior na região central-grave.

Características vocais

Como um contralto legítimo é uma voz rara no Brasil, muitas vezes o mezzo é quem canta as partes de contralto nos "divisis" dos arranjos corais e vocais em geral. Isso gera um pouco de confusão, trazendo a idéia de que o mezzo tem uma voz grave, o que nem sempre é verdade. É uma voz que tem maiores possibilidade de "misturar" a voz no centro e descer com o som mais equalizado do que um soprano faria. Mas, na verdade, um bom mezzo pode e deve ter seus agudos bem desenvolvidos.

Papéis operísticos

Azucena, o papel da cigana do "Il Trovatore" de Verdi (um dos papéis mais difíceis para o mezzo) tem um dó5 para cantar numa das cadências. O "mezzo rossiniano", que tem uma abordagem mais leve por causa das coloraturas que tem que executar, também desmitifica a idéia da voz do mezzo ser grave. Um exemplo disso é o papel de Rosina no "Il Barbieri di Siviglia" de Rossini.

Além destes, outros papéis onde podemos ouvir uma voz de mezzo-soprano são:

Há ainda alguns papéis que podem ser feitos por mezzos ou sopranos dramáticos:

Mezzosopranos por timbres e escolas

Mezzosoprano leggero

No canto, mezzosoprano leggero é o timbre mais leve entre os mezzosopranos, de pouca intensidade, voz clara e ágil, está mais próxima dos sopranos, sua cor é clara com pouco metal e geralmente muito flexível. Possui uma certa desigualdade de registros. Quase sempre está associada aos papéis de coloratura. Sua tessitura usual é do Láb2 ao Dó#5 (Ré5).

Na França

É dividido em duas categorias especiais criadas por cantoras de operetas Mezzosoprano Desclauzas que é uma categoria pouco conhecida que inclui tanto os sopranos de timbre curto e escuro como alguns mezzo sopranos, trata-se de uma classificação de papéis secundários como dama de companhia, confidente, madre, de caráter religioso, ama, amiga, criada e alguns papéis travestidos, trata-se de um mezzo-soprano de extensão curta e timbre patético. Voz de pouca intensidade e timbre claro. Marie Desclauzas (1840 – 1922) foi a criadora do papel de Mlle Lange em La fille de Mde Angot.

E a categoria Mezzosoprano Dugazon, que é um tipo de mezzosoprano leggero de operetas, de voz leve, clara, muito ágil, vocalizante e vibrante, também chamado de Mezzosoprano legèr; Louise Dugazon (1755 – 1821) foi criadora de mais de sessenta papéis de operetas francesas.

Na Alemanha

É incluída na categoria Lyrischer Mezzosopran.

Registros

Registro sobre agudo e agudo

É leve e de pouca intensidade, alcança notas extremamente agudas para um mezzosoprano até o Ré5, é muito extenso e de média intensidade. O timbre, nessa região, é leve e brilhante.

Registro central

É de media intensidade muito flexível e rico em harmônicos, possui uma sonoridade harmônica e aveludada.

Registro grave

É de fácil emissão de peito e com uma cor mais forte.

Coloratura

O mezzosoprano leggero é muito ágil e flexível, o timbre em geral é próximo ao soprano dramático coloratura, embora não se adapte no repertório do soprano dramático, falta-lhe a intensidade e o timbre metálico, mas consequentemente possui grande propensão para o vocalize virtuosistico, devido a leveza da voz. Este tipo de mezzosoprano encarna muito em personagens de óperas barrocas escritos para castrati e protagonizam em óperas do bel canto, como Cecilia Bartoli, que é um exemplo deste timbre.

Personagens

Papéis criados por Desclauzas

Papéis criados por Dugazon

Mezzosoprano lírico

Mezzo-soprano lírico é o timbre típico dos mezzo-sopranos, de uma cor escura e ao mesmo tempo brilhante, tem grande aptidão ao legato expressivo e igualdade de registros, a tessitura central é particularmente bonita e melancólica, a agilidade não é espontânea e não soa natural. Sua tessitura usual é do Sol 2 ao Dó 5 (Ré 5).

Na França

É destacada na categoria Mezzo-soprano Lyrique que é a categoria do mezzo-soprano lírico, deixando o timbre quente e mais claro. Não existe um termo para ser usado no mezzo-soprano central e o Mezzo-soprano lyrique é pouco usado. O tipo vocal é um intermediário entre o legér e o dramatique. É ágil uma voz momentaneamente possante dotada de uma cor escura em todos os registros.

Na Alemanha

É destacada na categoria Lyrischer Mezzosopran, que é a categoria do Mezzo-soprano lírico. Uma voz flexível e expressiva. Embora o nome Lyrischer Mezzosopran leve a crer que esta categoria pertence às vozes líricas, o nome mais antigo de Spielalt descreve melhor sua voz em relação as outras categorias. Ela é o Mezzo contraparte do Soubrette. Sua voz é um instrumento flexível, maduro faltando o timbre metálico e a ampla linha legata. Sua cor vocal na Alemanha é quente podendo ser frequentemente muito leve, quase soando como um soprano. Deve parecer bem em papéis travestidos e estar disposta a cantar alguns papéis de menor importância. Os básicos papéis para um Lyrischer Mezzo-sopran são Cherubino in Le nozze di Figaro, o Komponist em Ariadne auf Naxos, e Rosina in Il Barbiere di Sevilla. Embora um Lyrischer Mezzo-soprano com uma voz mais cheia possa usar as árias de Carmen em audições, mas raramente canta este papel em uma produção completa.

Registros

Registro agudo

É brilhante, aveludado, rico em harmônico e emocionante.

Registro central

É todo sensual e apaixonante, com uma cor escura e brilhante, muito volumoso e generoso.

Registro grave

É intenso, de grande potencia e vigor.

Coloratura

É um tipo raro de mezzo-soprano, possui tessitura aguda e grande agilidade em vocalizes virtuosísticos, mantendo uma cor escura e uma sonoridade intensa, o registro agudo é fácil, vibrante e aveludado.

Na França

É destacada na categoria Mezzo-soprano Coloraturè que é a categoria que inclui os mezzo-sopranos lírico de coloratura. Dotado de uma grande agilidade e especializada em certos papéis Rossinianos.

Na Alemanha

É destacada na categoria Koloratur Mezzosopran que é a categoria dos mezzosopranos de coloratura, uma voz flexível e ágil, com um timbre brilhante e de grande extensão. Usada na maioria das vezes no repertório italiano e no período do clássico, muito comum em óperas de Rossini, Mozart e Donizetti.

Personagens

Papéis destinados a coloratura

Papéis líricos

Mezzosoprano dramático

O mezzosoprano dramático é o timbre mais pesado e mais potente dos mezzosopranos, muito intenso e com uma grande extensão, prejudicada em partes na beleza do som e na igualdade de registros. Sua tessitura usual é do Sol2 ao Si4 (Dó5).

Na França

É destacada na categoria Mezzosoprano Galli-Marie que é a categoria que inclui o mezzosoprano dramático e o mezzocontralto. Voz possante e extremamente dramática. Criada por Celestine Galli-Marié (1840 – 1905) criadora de Mignon e Carmen.

Na Alemanha

É dividida em duas categorias Dramatischer Mezzosopran ou Hochdramaticher Mezzosopran Uma voz flexivel, metálica, de dupla categoria com um bom registro agudo e uma cor escura que frequentemente desenvolve com a idade na categoria do Dramatischer Alt. O Dramatischer Mezzo canta alguns dos papéis mais encarnados em toda a ópera. O papel principal em Carmem, Eboli em Don Carlos, Amnéris em Aída, Octavian em Der Rosenkavalier e Fricke em Die Walküre. Sendo uma voz media de dupla categoria ela é capaz de ambas uma longa linha lírica assim como momentos mais dramáticos. Seus papéis demandam grande beleza fisica e poder vocal, e a habilidade para manter a encenação sozinha com autoridade.

E a categoria Charakter Mezzosopran, que é a categoria de Mezzosoprano de caráter absoluto, assim como o soprano, uma voz de dupla categoria e de grande habilidade em cena, e flexibilidade para interpretar papéis de diversos carateres, a categoria é para cantoras com anos de carreira, muito raro e requer grande extensão vocal, Shirley Verret é a voz que caracteriza o termo, este mezzosoprano interpretou um vasto repertório, desde papéis de contralto como Ulrica em Un Ballo in Maschera a papéis de soprano dramático como Norma. Existem mezzosopranos que com o amadurecimento da voz passam para a categoria de soprano dramático e cantam até os papéis wagnerianos como Waltraud Meir e Violeta Urmana.

Registros

Registro agudo

É vibrante, e dificilmente adapta-se aos matizes de piano e pianíssimo, possui riqueza de sons metálicos e amplamente sonoros.

Registro central

É vigoroso, metálico, de personalidade sonora enérgica e efetivamente dramática.

Registro grave

Pode alcançar a tenebrosa potencia do contralto através da fácil emissão de peito, com uma cor atenorada.

Coloratura

É um tipo muito mais raro que o mezzosoprano lírico, este mezzo deve possuir flexibilidade e manter uma grande agilidade em vocalizes virtuosisticos, alcançados com uma requintada tecnica de respiração, a cor escura e a sonoridade intensa, ajuda a manter suas caracteristicas dramáticas o registro agudo deve ser fácil e vibrante. Este tipo de mezzo está muito associado a papéis comicos e buffos, fazendo a parte do contralto em papéis travestidos, ou de mulheres mais velhas.

Personagens

Papéis destinados a coloratura

Papéis Dramáticos

Mezzosopranos dramático famosas

Aptas à coloratura

Dramáticos

Wagnerianos

Comentários