(Parte 1 de 3)

Ambulatório de Neurologia Comportamental –ANCP

Afasias Afasias

EmmanuelleSilva Tavares Sobreira -PSICÓLOGA Marina Ceres Silva Pena -PSICÓLOGA

Julho/2007

No séc. XIX, Galle Spurzheim-funções da fala localizadas no Lobo Frontal;

Em 1836, Daxpercebe a relação entre afasia e lesões do hemisfério esquerdo;

Na metade do século, Paul Brocanotou perda da fala associada a uma lesão da convoluçãofrontal inferior esquerda;

Em 1862, Trousseauusou pela primeira vez a palavra afasia;

Carl Wernicke, em 1874, descreveu perda da compreensão da fala resultante de lesão do giro temporal superior esquerdo e posteriormente relatou que uma lesão posterior ao giro temporal superior, na região do giro angular, gerava incapacidade de compreensão de palavras escritas. Fez também a primeira descrição do que éconhecido hoje como afasia de condução;

Lichtheimdescreveu a afasia subcortical;

Hughlings-Jacksonenfatizou a complexidade dos transtornos da linguagem

Em 1906, Pierre Marie, abordagem holística da função da linguagem;

A aquisição da neuroimagemfuncional confirmou a importância dos córtex frontal inferior posterior (FIP) esquerdo e temporal superior posterior (TSP) nos transtornos de linguagem, conforme predito por Broca, Wernickee Lichtheim.

Paul Broca Carl Wernicke

Distúrbio de linguagem adquirido como resultado de uma lesão focal noSNC.

Refere-se a um transtorno da linguagem, incluindo diversas combinações de comprometimentos na capacidade de produzir espontaneamente, compreender e repetir a fala, assim como defeitos na capacidade de ler e escrever.

Éum transtorno de capacidades de linguagem anteriormente intactas devido a uma lesão cerebral.

Indica que o problema não se deve a uma paralisia ou incapacidade dos órgãos da fala ou dos músculos que controlam outras formas de expressão.

O grau de déficit parece correlacionar-se com o tamanho da lesão e também com sua localização.

A maioria dos casos de afasia se deve a isquemia na distribuição da ACM (artéria cerebral média)

Avaliação inicial –durante a coleta da história do paciente Componentes da Função da Linguagem testados:

FALA ESPONTÂNEA (conversação)

Fala automática Automatismo Monofasia Parafasia(fonêmica ou semântica) Neologismo Jargão Perseveração

COMPREENSÃO Comandos verbais Sim/Não Apontar/Mostrar

REPETIÇÃO Repetição de frases ou palavras

ESCRITA Escrita espontânea Escrita por meio de ditado

LEITU RA Comando escrito Lista de palavras

NOMEAÇÃO Nomear por confronto Apontar algo nomeado pelo examinador Geração de lista de palavras Nomear responsivo

DIAGNÓSTICO : Boston Diagnostic Aphasia Examination (Goodglassand Kaplan, 1972) NeurosensoryCenter Comprehensive Examination for Aphasia (Spreen and Benton, 1969)

Western aphasia Battery (Kertesz, 1980) AachenerAphasia Test (Huber et al., 1982)

Examination for Aphasia (Eisenson, 1954) Language Modalities Test for Aphasia (Wepman, 1961) Minnesota Test for the Differential Diagnosis of Aphasia (Schuell, 1957) Porch Index of Communicative Ability (Porch, 1967)

Outros : Token test (DeRenziand Vignolo, 1962) Boston Naming Tet(Goodglasset al., 1976; Kaplan et al., 1978) Number of Word-fluency Tests (Milner, 1964; spreenand Benton, 1969)

IMPORTANTE: Os achados devem ser correlacionados c/ exame neurol

IMPORTANTE: Os achados devem ser correlacionados c/ exame neurolóógico gico

Afasia de BrocaAfasia Anômica

Afasia de WernickeAfasia Transcortical

Afasia GlobalAfasia Subcortical Afasia de Condução

Afasias Não-FluentesAfasias Fluentes

Afasia de BrocaAfasia de Wernicke

Afasia TranscorticalMotoraAfasia de Condução

Afasia Global Afasia Transc ortical Sensorial Afasia Anômica

a lesão envolve áreas perissilvianasanteriores da fala na região FIP

o paciente sabe o que quer dizer, mas éincapaz de dizê-lo ou de dizêlo corretamente / fala espontânea não fluente

anomiaX apraxia oral

uso de gestos inadequados

↓de repetir o que ouvem, ↓ler em voz alta, ↓capacidade de escrita

compreensão levemente afetada

o paciente tem consciência do problema e fica frustrado

hemiparesiaou paresiafaciobraquialcontralateralporém sem nenhum defeito no campo visual

afasia de Broca grave: fala se resume a substantivos e verbos

(Parte 1 de 3)

Comentários