Clostridium tetani

Clostridium tetani

Corado pelo método de Gram

  • Corado pelo método de Gram

  • Forma de bastonete

  • Parede celular corada em roxo.

Responsável pelo tétano;

  • Responsável pelo tétano;

  • Distribuição mundial;

  • Presente no solo e nas fezes de eqüinos e outros animais;

  • Todos os tipos compartilham o antígeno O (somático);

  • Produzem o mesmo tipo antigênico de neurotoxina, a tetanospasmina.

C. tetani produz a tetanospasmina

  • C. tetani produz a tetanospasmina

  • Clivada por uma protease bacteriana em dois peptídeos ligados por ponte de dissulfeto.

  • Toxina difunde-se para as terminações de células inibitórias na medula espinal e tronco cerebral, incluindo interneurônios glicinérgicos e neurônios secretores de ácido aminobutírico do tronco.

Em seguida, a toxina degrada a sinaptobrevina, proteína necessária para ancoragem de vesículas neurotransmissoras sobre a membrana pré-sináptica.

  • Em seguida, a toxina degrada a sinaptobrevina, proteína necessária para ancoragem de vesículas neurotransmissoras sobre a membrana pré-sináptica.

  • A liberação dos neurotransmissores inibitórios é bloqueada e os neurônios motores não são inibidos.

  • Ocorre hiperreflexia, espasmos musculares e paralisia espática.

A infecção pelo C. tetani fica estritamente localizada na área do tecido morto onde os esporos foram introduzidos.

  • A infecção pelo C. tetani fica estritamente localizada na área do tecido morto onde os esporos foram introduzidos.

  • A germinação do esporo e o desenvolvimento do microrganismo na forma vegetativa que produzem toxinas é auxiliado por:

    • Presença de tecido necrótico;
    • Por sais de cálcio;
    • Por infecções piogênicas associadas.

Contração tônica do músculos voluntários;

  • Contração tônica do músculos voluntários;

  • Espasmos musculares afetando de princípio, a área da lesão e infecção;

  • Contração dos músculos da mandíbula de forma tão intensa que a boca fica impedida de se abrir;

  • Qualquer estímulo externo pode precipitar espasmo muscular generalizado tetânico;

  • Paciente totalmente consciente, a dor pode ser intensa e a morte é causada por interferência na mecânica da respiração.

Quadro clínico e história da lesão;

  • Quadro clínico e história da lesão;

  • Cultura de tecidos de feridas contaminadas em condição anaeróbica pode levar ao crescimento de C. tetani;

  • A prova de isolamento de C. tetani deve basear-se na produção de toxina e na sua neutralização por antitoxina específica.

A prevenção do tétano depende de:

  • A prevenção do tétano depende de:

    • Imunização ativa com toxóides;
    • Dos cuidados apropriados de feridas contaminadas com o solo etc.;
    • Do uso profilático de antitoxina;
    • Da administração de penicilina.
  • Administração intramuscular de unidades de antitoxina humana (Ig antitetânica) durante 2 a 4 semanas, o que neutraliza a toxina que ainda não se fixou ao tecido nervoso.

Remoção do tecido necrótico, essencial para proliferação dos microrganismos.

  • Remoção do tecido necrótico, essencial para proliferação dos microrganismos.

  • A penicilina inibe fortemente o crescimento de C. tetani e interrompe qualquer produção adicional de toxina. Antibióticos controlam infecções piogênicas associadas.

  • Administração adicional de uma dose de toxóide para estimular produção de antitoxina caso ocorra alguma lesão.

JAWETZ, MELNICK e ADELBERG. Microbiologia Médica. 22ª ed. Rio de Janeiro: Lange, 2005. 653p.

  • JAWETZ, MELNICK e ADELBERG. Microbiologia Médica. 22ª ed. Rio de Janeiro: Lange, 2005. 653p.

  • DATI, Adriana et.al. Clostridium sp. 2006. 07 p.-Universidade de São Paulo – Instituto de Ciências Biomédicas , São Paulo.

  • BRAUN, Graziela. Bactérias Anaeróbias. 2007. 30p. – Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Centro de Ciências Médicas e Farmacêuticas.

Comentários