Rami

  • Planta Têxtil

  • E

  • Forrageira

INTRODUÇÃO

  • AS FIBRAS DE RAMI SÃO TIRADAS DOS CAULES DAS PLANTAS DE RAMI, QUE FAZEM PARTE DA FAMÍLIA DAS URTICÁCEAS.

  • ANTES DE INICIAR-SE A PRODUÇÃO DO ALGODÃO (1.300 aC), O RAMI ERA NA CHINA A FIBRA TÊXTIL MAIS IMPORTANTE (X a V aC).

  • NO BRASIL, O RAMI FOI CULTIVADO PELA PRIMEIRA VEZ EM 1884, EM SANTA CATARINA.

  • ATUALMENTE A CULTURA DO RAMI ESTÁ TOTALMENTE CONCENTRADA NO PARANÁ, PRINCIPALMENTE NO

  • MUNICÍPIO DE LONDRINA.

  • As primeiras referências sobre o uso e aproveitamento do RAMI datam dos séculos X a V aC, como planta têxtil, na China.

  • Ela era uma das principais fibras usadas na fabricação de tecidos, antes da introdução do algodão, que se processou no ano de 1.300 aC.

  • No Brasil, o Rami foi cultivado pela primeira vez em 1884 em Santa Catarina.

  • Hoje, seu maior produtor é a China, seguindo-se o Brasil.

Origem

  • PLANTA DA FAMÍLIA URTICÁCEAS, NATIVA DAS REGIÕES TEMPERADAS DA ÁSIA ORIENTAL.

CULTIVO

  • O RAMI É UMA CULTURA PERMANENTE COM DURAÇÃO DE CERCA DE 20 ANOS. NO ENTANTO, UMA LAVOURA MÉDIA PRODUZ CERCA DE NOVE ANOS, CONTANDO A PARTIR DO SEGUNDO ANO, COM MÁXIMOS RENDIMENTOS ENTRE AS IDADES DE TRÊS A CINCO ANOS, DEPOIS DOS QUAIS ENTRA EM PROCESSOS DE RENDIMENTOS DECRESCENTES. PODEM SER FEITOS 4 CORTES ANUAIS.

  • PLANTAM-SE DOIS TIPOS DE RAMI PARA OBTENÇÃO DE FIBRAS: O RAMI DA ÍNDIA OU VERDE (CLIMA TROPICAL E SUBTROPICAL) E O RAMI BRANCO OU CHINÊS (CLIMA SUBTROPICAL E TEMPERADO).

  • A QUALIDADE E O RENDIMENTO DA FIBRA, POR SUA VEZ, DEPENDEM DO CORTE, DA VARIEDADE DA PLANTA E DE FATORES CLIMÁTICOS.

Definição

  • Trata-se de uma fibra lustrosa, fresca e absorvente, fácil de lavar e não larga fiapos.

  • A fibra não encolhe, não alarga e não desbota com o tempo, sendo muito rija e muito resistente.

  • Absorvem facilmente a transpiração, tingem-se bem pelos corantes comerciais e retêm melhor a cor do que as outras fibras.

Os fatores climáticos que condicionam a adaptação de uma cultura a uma determinada região:

  • Temperatura

  • Umidade

  • Luminosidade

  • Ventos

  • Solo

O Rami tem diferentes formas de uso

    • Caule: colhe-se a fibra que é transformada em fio para produção têxtil.
  • Folhas: faz-se a forragem, que muitas vezes substitui a alfafa, pois é mais nutritivo

  • Do líquido residual da desgomagem da fibra bruta obtêm-se pectina, empregado na fabricação de doces, cosméticos, adesivos, etc...

  • É também uma excelente fonte de celulose para manufatura de papel para documentos, cédulas e para cigarros

Forragem

  • Quando o rami não pode ser aproveitado para a indústria têxtil, suas folhas e ponteiros, depois de secas, servem como forragem, pois tem teor elevado em proteína e sais minerais. Muitas vezes é substituto da alfafa, pois o cultivo desta é mais difícil e seu valor nutritivo é menor.

Rami na Indústria Têxtil

  • O rami decorticado precisa passar por determinados processos de beneficiamento na indústria têxtil, de acordo com a finalidade a que se destina.

Beneficiamento:

  • Amaciamento

  • Desengomagem

  • Alvejamento

Queda de produção

  • A queda da qualidade do produto brasileiro

  • tem sido apontada como o principal fator

  • responsável pela falta de estímulo da

  • indústria no emprego de rami.

Dois principais fatores introduziram o rami na indústria de sacaria:

  • A rápida substituição das fibras naturais pelos fios sintéticos;

  • A queda de produção da juta na Amazônia. E a sacaria confeccionada com participação do rami, tem maior resistência à ruptura e menor preço.

Desvantagens

  • A tela confeccionada com uma porcentagem maior que da juta, pode provocar uma irritação nas mãos dos carregadores;

  • Ao ser processada na máquina ela provoca uma poeira que concorre para acetuar a insalubridadade do ambiente de trabalho, afetando a produtividade do trabalhador.

Tapeçaria, cordas e barbantes

  • Na indústria de tapeçaria, cordas e barbantes, o rami vem ampliando seu consumo

  • O fio de rami tem sido utilizado tambéms na indústria de calçados, de fios para tecer mangueiras e lonas, de redes de pesca,

BENEFICIAMENTO

  • DESCORTICAGEM FEITA AINDA NO CAMPO, ATRAVÉS DE MÁQUINAS DESFIBRADORAS OU DESCORTICADORAS, SENDO AS MAIS UTILIZADAS CONHECIDAS COMO PIRIQUITOS, QUE SEPARAM AS CASCAS DAS HASTES;

  • DESGOMAGEM FEITA NAS INDÚSTRIAS VIA PROCESSOS QUÍMICOS, VISANDO A REMOÇÃO DA COLA VEGETAL.

PROPRIEDADES

  • A FIBRA DO RAMI, PERTENCENTE À FAMÍLIA DAS FIBRAS LONGAS, TEM EM MÉDIA 150 A

  • 200 MILÍMETROS DE COMPRIMENTO.

  • TRATA-SE DE UMA FIBRA LUSTROSA, FRESCA E ABSORVENTE. A FIBRA NÃO ENCOLHE, NÃO ALARGA E NÃO DESBOTA COM O TEMPO, SENDO MUITO RIJA E MUITO RESISTENTE.

  • ABSORVEM FACILMENTE A TRANSPIRAÇÃO E TINGEM-SE BEM PELOS CORANTES COMERCIAIS.

FORMAS DE USO

  • O RAMI TEM DIFERENTES FORMAS DE USO:

  • CAULE  COLHE-SE A FIBRA QUE É TRANSFORMADA EM FIO PARA PRODUÇÃO TÊXTIL;

  • FOLHAS  FAZ-SE A FORRAGEM, QUE MUITAS VEZES SUBSTITUI A ALFAFA, POR SER MAIS NUTRITIVA;

  • DO LÍQUIDO RESIDUAL DA DESGOMAGEM DA FIBRA BRUTA OBTÊM-SE PECTINA, EMPREGADA NA FABRICAÇÃO DE DOCES, COSMÉTICOS, ADESIVOS, ETC...

  • É TAMBÉM UMA EXCELENTE FONTE DE CELULOSE P/ MANUFATURA DE PAPÉIS DE ALTO VALOR; PAPEL-MOEDA, VALORES DE BOLSA E PAPEL P/ CIGARROS.

DESVANTAGENS

  • EM TERMOS DE PROCESSO PRODUTIVO, ESTA CULTURA APRESENTA BAIXO PADRÃO

  • TECNOLÓGICO, SENDO BASTANTE INTENSIVA NO USO DA MÃO-DE-OBRA, DA QUAL EXIGE

  • MUITO ESFORÇO FÍSICO. ALÉM DISSO, A MÁQUINA PIRIQUITO UTILIZADA NA SUA

  • DESCORTICAGEM É PERIGOSA E INEFICIENTE, REDUNDANDO NA ALTA INCIDÊNCIA DE

  • ACIDENTES DE TRABALHO.

  • A FIBRA AO SER PROCESSADA PROVOCA UMA POEIRA QUE CONCORRE PARA ACETUAR A INSALUBRIDADADE DO AMBIENTE DE TRABALHO, AFETANDO A PRODUTIVIDADE DO TRABALHADOR.

BIBLIOGRAFIA

  • ERHARDT, Theodor e outros. Curso Técnico Têxtil. Tradução Jacob Furtner. 2.ed. São Paulo: Edusp, 1976.

  • Rami, uma cultura em extinção. Disponível em: <www.bndes.gov.br/conhecimento/setorial/is12rami.pdf>. Acesso em: 19 Set 2004.

  • Glossário Têxtil e Curiosidades. Disponível em: <http://www.casapinto.com.br/CPGlossarioTextil.html>

Comentários