(Parte 1 de 3)

PROFESSORA IRIS CORRÊA Referências: Manual de Diabetes e de H.A do M.S

CAPÍTULO I 1-EXAMES DIAGNÓSTICOS : TÉCNICAS E ROTINAS SOBRE A COLETA DE MATERIAIS E ACONDICIONAMENTO

A coleta deve ser feita dentro de uma técnica asséptica, utilizando recipientes de boca larga e materiais estéreis e evitando ou diminuindo ao máximo a contaminação com a microbiota não representativa do processo infeccioso. Conforme o estabelecido nas normas de biossegurança2 para manipulação de sangue e outras substâncias corporais, independentemente do diagnóstico do paciente, todo material será colhido, acondicionado, transportado, processado e descartado como potencialmente infectante. Utilizar barreiras de proteção necessárias a cada procedimento. Evitar a contaminação da superfície externa do frasco de coleta (se acontecer, fazer a desinfecção da superfície, com três aplicações de álcool 70%). Não contaminar o pedido de exame.

1.2--Coleta do Material: A coleta deve ser realizada, sempre que possível, antes do início ou da modificação da terapia antimicrobiana. O material colhido deve ser representativo do processo infeccioso investigado, devendo ser eleito o melhor sitio da lesão. Por exemplo: as crostas das feridas devem ser removidas, uma vez que a melhor amostra vai localizarse abaixo dessa crosta.

1.3- Acondicionamento e tempo adequado para entrega da amostra ao Laboratório Acondicionamento 1.Respiratória (escarro, aspirado traqueal, LAB3, BEP4 ): 30 minutos Frasco seco estéril Hemocultura 30 minutos (não refrigerar) 2.Frascos com meio de cultura

Fezes 30 minutos Frasco seco estéril- Fezes em meio de transporte 12 horas Meio Cary Blair 3.Urina 30 minutos Frasco seco estéril - Urina refrigerada (4° C ) 4 horas Frasco seco estéril 4.Swab em meio de transporte

Conforme o meio e a especificação do Laboratório Meio Stuart, Amies Swab sem meio de transporte Imediatamente Cateter vascular (segmento) Imediatamente Frasco seco estéril 5.Líquor Imediatamente (não refrigerar) Frasco seco estéril / Kit do LACEN 6.Líquido pleural e outros líquidos de cavidade estéril Imediatamente (não refrigerar) Frasco seco estéril ou frascos com meio de cultura 7.Fragmento de tecido, ósseo

Imediatamente Frasco seco estéril

1.4- Meio de transporte Serve para manter a viabilidade das bactérias, porém sem permitir a multiplicação. Exemplos de meios especiais: Stuart, Amies, Cary Blair. 2 Normas de Precauções para Isolamento Hospitalar. SES-DF, 2002. 3 LAB : Lavado broncoalveolar 4 BEP : Broncoscopia com escovado protegido

1.5- EXAMES ESPECIALIZADOS

1-ULTRASONOGRAFIA ABDOMINAL, PÉLVICA E TRANSVAGINAL ABDOME TOTAL

Referências: Manual de Diabetes e de H.A do M.S

Indicação: avaliação de fígado, pâncreas, vesícula biliar, vias biliares, baço, rins, retroperitônio e bexiga. Preparo/Orientações para a realização: Jejum de 8 horas; Dieta leve no dia anterior (sopa de legumes, verduras, frutas, Chá com bolacha água-e-sal), devendo evitar refrigerante, água com gás, sucos, leite e derivados, pão, macarrão, ovo, doces e alimentos gordurosos; TOMAR 8 COPOS DE ÁGUA 2 HORAS ANTES DO EXAME; Manter a bexiga cheia até a realização do exame; o se possível, tomar 1 comprimido de Dimeticona (Flagaz ou Luftal), via oral, de 6/6 horas, iniciando 2 (dois) dias antes do exame. ABDOME SUPERIOR Indicação: avaliação de fígado, pâncreas, vesícula biliar, vias biliares e baço. Preparo/Orientações: Jejum de 8 horas; Dieta leve no dia anterior (sopa de legumes, verduras, frutas, Chá sem açúcar com bolacha água-e-sal), devendo evitar refrigerante, água com gás, sucos, leite e derivados, pão, macarrão, ovo, doces e alimentos gordurosos; NÃO É NECESSÁRIO TOMAR ÁGUA, NEM MANTER BEXIGA CHEIA; Se possível, tomar 1 comprimido de Dimeticona (Flagaz ou Luftal), via oral, de 6/6 horas, iniciando 2 (dois) dias antes do Exame. U.S.G DAS VIAS URINÁRIAS Indicação: avalia rins e bexiga Preparo/Orientações: TOMAR 8 COPOS DE ÁGUA 2 HORAS ANTES DO EXAME; Manter a bexiga cheia até a realização do exame; PÉLVICA

Indicação: avalia bexiga, útero e anexos Preparo/Orientações: TOMAR 8 COPOS DE ÁGUA 2 HORAS ANTES DO EXAME; Manter a bexiga cheia até a realização do exame; OBSTÉTRICA ATÉ 4 MESES (16 semanas) Indicação: avaliação da sono-anatomia fetal Preparo/Orientações: TOMAR 8 COPOS DE ÁGUA 2 HORAS ANTES DO EXAME; Manter a bexiga cheia até a realização do exame OBSTÉTRICA APÓS 4 MESES COMPLETOS (após 16 semanas) Indicação: avaliação da sono anatomia fetal Preparo/Orientações: NÃO HÁ PREPARO ESPECÍFICO TRANSVAGINAL Indicação: bexiga, útero e anexos Preparo/Orientações: NÃO HÁ PREPARO ESPECÍFICO MAMA (COM OU SEM BIÓPSIA) Indicação: avalia mama e seus prolongamentos axilares Preparo/Orientações: NÃO HÁ PREPARO ESPECÍFICO Levar exames anteriores de mama (USG e Mamografia)

TIREÓIDE (COM OU SEM BIÓPSIA) Indicação: avalia tireoide Preparo/Orientações: NÃO HÁ PREPARO ESPECÍFICO CERVICAL Indicação: avalia glândulas parótidas, sub-mandibulares, sub-linguais e nódulos cervicais Preparo/Orientações: NÃO HÁ PREPARO ESPECÍFICO PRÓSTATA SUPRA-PÚBICA Indicação: avalia próstata, vesículas seminais e bexiga Preparo/Orientações:

Referências: Manual de Diabetes e de H.A do M.S

TOMAR 8 COPOS DE ÁGUA 2 HORAS ANTES DO EXAME; Manter a bexiga cheia até a realização do exame; ECODOPPLER DE CARÓTIDAS Indicação: avalia carótidas Preparo/Orientações: NÃO HÁ PREPARO ESPECÍFICO ECODOPPLER DE MEMBROS INFERIORES Indicação: avalia fluxo arterial e/ou venoso de membros inferiores Preparo/Orientações: NÃO HÁ PREPARO ESPECÍFICO CRIANÇA ABDOME TOTAL PEDIÁTRICO Indicação: avaliação de fígado, vesícula biliar, vias biliares, baço, rins e bexiga. Preparo/Orientações: crianças menores de 1(um) ano = jejum de 3 horas; crianças de 1(um) a 4(quatro) anos = jejum de 4 horas; crianças maiores de 5(cinco) anos = jejum de 8 horas; levar mamadeira ou lanchinho para pósexame. ABDOME SUPERIOR PEDIÁTRICO Indicação: avaliação de fígado, vesícula biliar, vias biliares e baço Preparo/Orientações: crianças menores de 1(um) ano = jejum de 3 horas; crianças de 1(um) a 4(quatro) anos = jejum de 4 horas; crianças maiores de 5(cinco) anos = jejum de 8 horas; levar mamadeira ou lanchinho para pósexame.

VIAS URINÁRIAS PEDIÁTRICO Indicação: avalia rins e bexiga Preparo/Orientações: TOMAR LÍQUIDO (EXCETO GASEIFICADOS) 1 HORA

ELETROCARDIOGRAMA eletrocardiograma (ECG) registra a atividade elétrica do coração, permitindo diagnosticar uma vasta gama de distúrbios cardíacos. Eletrodos são conectados aos pulsos, tornozelos e peito. São ativados 2 eletrodos de cada vez. Cada registro representa a atividade elétrica de uma região do coração. Quando auxiliar este procedimento, oriente a pessoa a ficar relaxada e imóvel, isto poderá acalmá-la.

Holter – É o aparelho utilizado para registrar a atividade elétrica do coração durante 24 horas.

Cintilografia miocárdica – Consiste na introdução de radioisótopos (substâncias detectadas por radiação) por via intravenosa com o objetivo de detectar o infarto agudo do miocárdio.

Cateterismo cardíaco – Consiste na introdução de um ou mais cateteres pelas artérias até o coração, a fim de medir as pressões nas diversas câmaras

Ecocardiograma

O ecocardiograma é um exame complementar usado em cardiologia, que utiliza ultra-som para gerar No ecocardiograma, o examinador manipula o transdutor na parede torácica do paciente, procurando direcionar os feixes de ultra-som para a região do coração que deseja estudar. Imagens. Estuda os sons cardíacos.

OBS: A angiografia, a tomografia computadorizada, a cintilografia, a punção lombar e o Doppler ultrasônico de carótidas são exames que têm por finalidade definir o tipo de AVC, a extensão e a localização da

Referências: Manual de Diabetes e de H.A do M.S lesão e decidir se o tratamento será clínico e ou cirúrgico. A existência de distúrbios motores de um lado do corpo costuma refletir lesão do lado oposto do cérebro.

Broncoscopia

A broncoscopia é um exame visual direto da laringe e das vias aéreas com a utilização de um tubo de visualização de fibra óptica (broncoscópio). O broncoscópio possui uma fonte luminosa em sua extremidade, permitindo ao médico observar dentro do pulmão as grandes vias aéreas (brônquios). Esse exame pode auxiliar o médico no estabelecimento do diagnóstico e no tratamento de determinadas doenças. Pode-se utilizar um broncoscópio flexível para a remoção de secreções, sangue, pus e corpos estranhos, para instilar medicamentos em áreas específicas dos pulmões e para a investigação da origem de hemorragia. No caso de suspeita de um câncer pulmonar, o médico pode examinar e coletar amostras de qualquer área suspeita. A broncoscopia é utilizada para a coleta de microrganismos causadores de pneumonia e cuja coleta é difícil com outras técnicas. A broncoscopia é particularmente útil para a obtenção de amostras de indivíduos com AIDS ou outras deficiências imunológicas. No caso de indivíduos com queimaduras ou que inalaram fumaça, a broncoscopia ajuda a avaliar o estado da laringe e das vias aéreas. Preparo: O paciente não deve comer nem beber durante as 4 horas que antecedem a broncoscopia. Frequentemente, são administrados um sedativo para reduzir o nível de ansiedade do paciente, e atropina para reduzir os riscos de espasmo da laringe e de redução da frequência cardíaca, a qual ocorre algumas vezes durante o procedimento. A garganta e a via nasal são anestesiadas com um spray anestésico e, em seguida, o broncoscópio flexível é introduzido através da narina até as vias aéreas dos pulmões. A lavagem broncoalveolar é um procedimento que os médicos podem utilizar para coletar amostras das vias aéreas menores, que não podem ser observadas com o broncoscópio.

1.6- EXAMES DE ROTINA

• Hemograma •Para que serve - Através do sangue, é possível detectar a existência de infecções e anemia. Quando severa, ela precisa ser tratada com suplementos vitamínicos. Se isto for descuidado, pode trazer prejuízos para o desenvolvimento do feto. Como se faz - Colhendo sangue (10ml, em média) de uma veia do braço. O resultado sai em poucas horas. Quando se faz - Obrigatoriamente, no começo da gestação. Será repetido outras vezes, a critério médico.

Preparação - Jejum de quatro horas, no mínimo, exceto para água. Informe ao laboratório se estiver tomando qualquer medicação, pois pode alterar o resultado. •Tipo Sanguíneo :

•Para que serve - Saber se há incompatibilidade entre o sangue materno e o paterno. Dependendo da combinação, o tipo sanguíneo do feto pode não

Referências: Manual de Diabetes e de H.A do M.S ser o mesmo de seu pai e nem de sua mãe. Como se faz - Aproveita-se, de preferência, parte do sangue colhido para o hemograma. Resultado no mesmo dia. Quando se faz - Logo no começo da gravidez. Preparação - Jejum de quatro horas, menos para água •Prova de Coombs

•Para que serve - Avaliar se a mãe, que tem Rh negativo, produz anticorpos contra o sangue do bebê. Caso confirmado e, dependendo da quantidade de sangue do feto destruída durante a gravidez, faz-se uma transfusão intra-útero ou logo que ele nasce.

•Como se faz - Através de coleta de sangue. O resultado demora cerca de dois dias.

•Quando se faz - É indispensável sempre que a mulher tem Rh negativo e o futuro pai, positivo.

Preparação - Jejum de quatro horas, menos para água. •Urina –EAS

•Para que serve - Detectar uma possível infecção urinária. Se não for tratada, pode desencadear anemia, ruptura prematura das bolsas amnióticas e parto prematuro.

•Como se faz - Lave a região genital, para que as bactérias da vagina não sejam confundidas com os micro-organismos da infecção, e colha a urina em frasco apropriado (o laboratório fornece). Não utilize o primeiro jato. O resultado sai no mesmo dia.

•Quando se faz - Praticamente durante toda a gravidez, em intervalos de um a dois meses. E sempre que houver queixas como ardor ao urinar acompanhado ou não de febre. Preparação - Beba bastante água na véspera e colha a primeira urina da manhã. Caso contrário, será necessário ficar duas horas sem tomar qualquer líquido.

•Para que serve - Verificar se existem vermes roubando sangue e nutrientes da gestante, o que ocasiona anemia. Como se faz - Colha as fezes em recipiente esterilizado. Os laboratórios distribuem gratuitamente. O resultado sai no dia seguinte. Quando se faz - Normalmente o obstetra pede logo na primeira consulta. E avalia a necessidade de se repetir o exame. Preparação - Na véspera, orientar que o paciente evite alimentar-se demais ou ingerir comidas condimentadas e gordurosas. •BACTERIOSCOPIA DE SECREÇÃO URETRAL

Secreção uretral Preparação : Estar há pelo menos 2 hs sem urinar. Evitar relações sexuais e medicamentos tópicos nas 24 hs que antecedem o exame - Preferencialmente não usar antibiótico nos 3 dias que antecedem o exame (ou seguir orientação médica) •

Secreção vaginal Evitar relações sexuais nas 24 hs anteriores ao exame. Evitar uso de cremes/óvulos vaginais, ducha/lavagem

Referências: Manual de Diabetes e de H.A do M.S vaginal, ultrassom vaginal ou toque ginecológico nas 48 hs que antecedem o exame - Preferencialmente não estar menstruada e não usar antibiótico nos 3 dias que antecedem o exame (ou seguir orientação médica) •BACTERIOSCOPIA DE

URINAUrina Colher urina no laboratório devido à necessidade de assepsia - Estar há pelo menos 2 hs sem urinar - Preferencialmente não usar antibiótico nos 3 dias que antecedem o exame (ou seguir orientação médica) •COLPOCITOLOGIA ONCÓTICA / PAPANICOLAOU Material cérvico-vaginal

•Preparo : Evitar relação sexual, uso de cremes/óvulos vaginais, ducha/ •lavagem vaginal,ultrassom vaginal ou toque ginecológico nas 48 hs que antecedem o exame •SOROLOGIA PARA

CHLAMYDIA

CHAGAS SangueJejum de 4 hs •SOROLOGIA PARA •SangueJejum de 4 hs

•SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - IgG / IgMSangueJejum de 4 hs •SOROLOGIA PARA

HEPATITE A - IgG / IgM

SangueJejum de 4 hs •SOROLOGIA PARA HEPATITE B - 6 TESTES

(Parte 1 de 3)

Comentários