Artigo: Avaliação da qualidade da água in-natura dos principais mananciais de abastecimento da cidade de Cascavel Paraná

Artigo: Avaliação da qualidade da água in-natura dos principais mananciais de...

(Parte 1 de 3)

Avaliação da qualidade da água in-natura dos principais mananciais de abastecimento da cidade de Cascavel Paraná.

Evaluation of the quality of the water in-natura of the main sources of supplying of the city of Paraná Rattlesnake.

Jair Bischoff I; Rosangela A. B. AssumpçãoII; Alexandre C. de Moura I

IDiscente do curso de Ciências Biológicas FAG, Cascavel, PR. IIDocente da Faculdade Assis Gurgacz (FAG) desde 2001, atuando na área de estatística na graduação e pósgraduação. I Docente da Faculdade Assis Gurgacz (FAG), Cascavel, PR, atuando nas disciplinas de Microbiologia e Imunologia e orientador do presente estudo.

FAG Avenida das Torres, 500 – CEP 85806-095, Cascavel, PR, Fone 45-3321-3900, email: w.fag.edu.br

RESUMO: A quantidade e distribuição podem ameaçar a sobrevivência dos seres vivos. A contaminação por efluentes orgânicos do tipo doméstico pode torná-la um veículo de transmissão de enfermidades comprometendo sua qualidade. A água que abastece a cidade de Cascavel - PR é captada nos rios Cascavel, Peroba e Saltinho. Com o objetivo de analisar a qualidade microbiológica e físico-química da água desses rios, foram coletadas 21 amostras de água in-natura, entre setembro/2006 a março/2007. Para avaliar a qualidade microbiológica e físico-química dessa água, foi utilizando o método Standard Methods for Examination of Water and Wastewater (APHA, 2005), e os meios de cultura m-Endo Broth e m-Fc Broth Base. Os resultados mostraram que das amostras coletadas 62% apresentaram contaminação por coliformes 45º e 80% por Coliformes Totais. Constatou-se que há correlação significativa entre Cor, pH, Turbidez, Coliformes Totais e Coliformes 45ºC. Existe um grande risco de contaminação da população quando utiliza água destes mananciais sem nenhum tipo de tratamento e neste sentido deve-se orientá-los, quanto às condições de higiene e controle de lixo e esgoto doméstico, além de um controle maior por parte dos órgãos fiscalizadores.

Palavras-chave: Contaminação da população, microbiologia da água, coliformes totais e coliformes 45ºC.

The quality of the water is a universal necessity and its alterations in terms of quality, amount and distribution can threaten the survival of the beings livings creature. The contamination for effluent organic of the domestic type can become them a vehicle of transmission of diseases compromising the quality of water. The water that supplies the city of Rattlesnake - PR is caught in the rivers Rattlesnake, Peroba and Saltinho. With the objective to analyze the microbiological quality and physicist-chemistry of the water of these rivers, 50 water samples had been collected in-natura, between setembro/2006 março/2007. To evaluate the microbiological quality and physicist-chemistry of the water of these rivers, of Water was using the Standard method Methods will be Examination and Wastewater (APHA, 2005), and the ways of culture m-Endo Broth and m-Fc Broth Base. The results had shown that of collected samples 62% they had presented contamination for coliformes 45º and Total 80% for Coliformes. One evidenced that it has significant correlation between Color, pH, Turbidez, Coliformes Totais and Coliformes 45ºC. A great risk of contamination of the population exists when it uses water of these sources without no type of treatment and in this direction it must be guided them, how much the conditions of hygiene and control of garbage and domestic sewer, beyond a bigger control on the part of the agencies fiscalizadores

Keywords: contaminação of the population, total and coliformes microbiology of the water, coliformes 45ºC.

A água é essencial para a existência e bem-estar do ser humano, devendo ser disponível em quantidade suficiente e boa qualidade como garantia da manutenção da vida, (Freitas et al, 2002).

A qualidade da água é vulnerável as condições ambientais a qual está exposta. Sua preservação é uma necessidade universal, que exige atenção por parte das autoridades e consumidores em geral, particularmente no que se refere à água dos mananciais, destinados ao consumo humano, visto que sua contaminação por microrganismos patogênicos de origem entérica, animal ou humana, pode torná-las um veículo de transmissão de agentes de doenças infecciosas e parasitárias, (d’Aguila et al, 2000).

A importância do controle e da análise da qualidade da água é fundamental a fim de que se eliminem os riscos de potencial contaminação da população. Entre os patógenos disseminados em fontes de água, os patógenos entéricos são os mais frequentemente encontrados. Como conseqüência, fontes de contaminação fecal em água devido à atividade humana devem ser estritamente controladas (d’Aguila et al, 2000).

As bactérias patogênicas encontradas na água e/ou alimentos constituem uma das principais fontes de morbidade e mortalidade em nosso meio. São responsáveis por numerosos casos de enterites, diarréias infantis e doenças epidêmicas (como o cólera e a febre tifóide), que podem resultar casos letais, (Who, 1996, apud d’Águila et al, 2000).

Analisando as características de um manancial, visualiza-se que estão poluídas quando suas características físicas, químicas e/ou biológicas se encontram alteradas pela ação antrópicas, de tal modo que sua utilização fica inviabilizada (Campos, 1995).

A qualidade necessária à água distribuída é a potabilidade, ou seja, esta deve ser adequada ao consumo humano, estando livre de qualquer contaminação, seja esta microbiológica, química, física ou radioativa, não devendo, em hipótese alguma, oferecer riscos à saúde humana (Brasil, 2004).

Quando os mananciais de superfície têm a finalidade de abastecimento público e passam a fazer parte de um sistema de captação, devem-se examinar cuidadosamente todos os elementos que digam respeito às condições mínimas de qualidade dessa água (Gasparini, 2001).

Os coliformes totais e coliformes a 45ºC são os indicadores de contaminação mais usados para monitorar a qualidade da água. Um dos parâmetros utilizados o grupo coliformes, é o mais apropriado para a avaliação da qualidade da água. Sendo que os coliformes 45ºC, são capazes de fermentar a lactose com produção de gás, entre 24 e 48 horas a temperaturas entre 4,5ºC a 45,5ºC.

A melhoria do saneamento ambiental e a provisão de água segura são condições necessárias para a profilaxia dos patógenos, (Braga et al, 2002). Este controle é feito medindo-se alguns parâmetros como a presença de níveis de coliformes a 45ºC e totais, além de análises microbiológicas e físico-quimicas.

Considerando a importância da qualidade da água para a sobrevivência dos seres vivos, este trabalho se propôs a avaliar as águas dos mananciais que abastecem o município de Cascavel – Pr, tendo como objetivo principal avaliar as condições microbiológicas, quanto à presença de coliformes totais e 45ºC e a qualidade físico-químico da água innatura dos três rios, destinados ao abastecimento público da cidade de Cascavel - Pr, no período de setembro/2006 a março/2007, através da análise de variáveis físico-químicos e microbiológicos, embasado na interpretação dos resultados do monitoramento microbiológico e físico-químico.

A bacia hidrográfica do Rio Cascavel está situada geograficamente entre os paralelos 24º 34’ e 25º 17’ de latitude sul e os meridianos 53º 05’ e 53º 50’ de longitude oeste, abrange uma área de drenagem de 117,5 km2, sendo responsável por 80% do abastecimento de água potável da cidade de Cascavel. O leito principal do rio apresenta extensão aproximada de 17,85 km, tendo como cota topográfica máxima 767m e mínima 580m (Cascavel, 1995).

No ponto de captação, a bacia hidrográfica tem aproximadamente 52 km2, com vazão mínima observada em períodos de estiagem de 2 L/s. Este manancial é reforçado por mais dois: Peroba, com área de distribuição de 26 km2 e vazão mínima de 130 L/s e Saltinho com área de distribuição de 43 km2 e vazão mínima de 170 L/s (Cascavel, 1995).

As análises microbiológicas da água foram realizadas segundos as técnicas recomendadas pela American Public Health Association (2005). Foram realizadas também análises físico-químicas, tais como determinação de pH, Cor e Turbidez.

Foram testadas 21 amostras, retiradas de pontos distintos dos rios Cascavel, Peroba e Saltinho, durante o período de setembro/2006 a março/2007. Os locais de coleta foram escolhidos aleatoriamente, situando-se em diferentes bairros do município.

As amostras foram coletadas em frascos estéreis de polietileno de 250 ml, de forma a conterem em seu interior sete gotas de EDTA 15% e três gotas de Tiossulfato de Sódio 10% e enviadas para o laboratório de microbiologia da SANEPAR, onde foram armazenadas em temperaturas entre 0 – 4ºC por um período máximo de 6 horas.

Foram realizadas análises físico/químicas, tais como: pH analisado através da unidade de pH. Cor aparente, utilizado o equipamento µH – Um. cor, Turbidez através de UNT ( Unidade Nefelométrica de Turbidez) UH (Unidade de Hanse), com o objetivo de avaliar as variaveis de qualidade das águas.

Para a análise microbiológica das amostras, empregou-se a técnica da membrana filtrante. Onde a amostra foi filtrada através de uma membrana com porosidade de 0,45 µm e 47 m de diâmetro, sendo transferidas então para uma placa de Petri contendo o meio de cultura seletivo e diferencial (M-Endo Broth e M-Fc Broth), para visualização de colônias típicas (coloração vermelha escura e brilho verdemetálico superficial) (Unicamp, 2006).

Após incubação, fez-se a leitura das colônias típicas de coliformes termotolerantes. Para a contagem de colônias, usam-se placas com crescimento entre 20 e 80 colônias de coliformes e não mais que 200 colônias de todos os tipos.

Após a obtenção dos resultados, os mesmos são digitados em um banco de dados interno da SANEPAR, chamado Sistema de Qualidade da Água (SQA). De posse desses dados a água in natura foi avaliada, confrontando com os parâmetros determinados pelo Ministério da Saúde na portaria 518/04, e foram submetidos à análise estatística pela correlação linear de Person e construção de diagrama de dispersão.

RESULTADO E DISCUSSÕES Há diversos métodos que podem ser utilizados para a avaliação físico-química, assim como na detecção ou contagem de coliformes em água. Uma das análises para evidenciar a contaminação da água que tem sido tradicionalmente utilizada é a determinação de coliformes totais e 45°. As médias dos resultados das amostras analisadas ao longo do período de set/06 a mar/07, encontram-se apresentados nos gráficos 1 e 2. Os resultados dos parâmetros analisados na água in natura foram confrontados com os parâmetros determinados pela resolução do CONAMA nº 357 (BRASIL, 2005) que estabelece que o limite para as águas doces de classe dois é de até 1000 coliformes termotolerantes por 100 mL em, no mínimo, 80% das amostras coletadas em um ano. Entretanto, como mostram as Figuras 1 e 2, calculando o número de amostras do período (21 amostras), percebe-se que nos rios Cascavel e Peroba 57,2% das amostras estão em conformidade com o estabelecido, enquanto que no rio saltinho apenas 28,5%. Com esses dados foi possível alavancar a atual situação dos rios Cascavel, Saltinho e Peroba e o seu grau de poluição. As análises físico/químico, tais como: pH, Cor e turbidez tiveram o objetivo de avaliar as variáveis de qualidade das águas.

Figura 1 - Médias mensais de Coliformes Totais nos rios pesquisados. Coliformes Totais

Mes da coleta u a n t i d a d e d e

Rio Cascavel Rio Peroba Rio Saltinho

Figura 2 - Médias mensais de Coliformes 45º nos rios pesquisados. Coliformes 45º

s e t / o u t / n o v / f e v / m a r /

Mes coletado u a n t i d a d e d e

C o l i f o r e s

Rio Cascavel Rio Peroba Rio Saltinho

Sendo assim, constatou-se que o número de coliformes 45º presentes nos rios que abastecem a cidade de Cascavel (rios Cascavel, Peroba e Saltinho) ultrapassou, no período analisado, os limites bacteriológicos impostos pela portaria. Apresentando-se impróprias para consumo e riscos a saúde humana. Os resultados obtidos na pesquisa revelam grande comprometimento dos rios Cascavel, Peroba e Saltinho, em relação ao parâmetro bacteriológico coliformes.

TABELA 1 - Correlação entre as variáveis PH, Cor, Turbidez, Coliformes 45º e Coliformes Totais, durante o período de set/06 a mar/07.

COR - 0,28* 0,0 TURBIDEZ - 0,20* 0,01 0,83* 0,0

COLIFORMES T -0,01

COLIFORMES 45º 0,02

0,80 0,25 0,0 0,19* 0,02

*significativo ao nível de 5%
ocorre com Cor e Coliformes Totais e Coliformes Totais e Coliformes 45º

Na tabela 1 estão relacionados à correlação entre as variáveis pH, Cor, Turbidez, Coliformes 45º e Coliformes totais. Pode-se verificar que há correlação significativa entre: pH e Cor; pH e Turbidez; Cor e Turbidez; Cor e Coliformes totais; e Coliformes totais e Coliformes 45º. Sendo que a correlação entre pH e Cor, e pH e Turbidez é negativa, logo há um aumento da cor quando há uma redução do pH. Da mesma forma ocorre aumento da cor quando diminui a quantidade de coliformes totais. No entanto, a correlação entre Cor e Turbidez; Cor e Coliformes Totais e Coliformes Totais e Coliformes Fecais é positiva. Aumentando a turbidez também aumenta a cor, o mesmo

TABELA 2 - Análise de variância (ANOVA - one-way) das variáveis Coliformes 45ºe Coliformes Totais com relação ao fator Rio, durante o período analisado.

Variável Rio Média±DP p-value

Coliformes

45º Cascavel 1021±2483 0,62

Peroba 2496±11579

Saltinho 2833±11881

(Parte 1 de 3)

Comentários