(Parte 1 de 10)

CAPÍTULO 3 ENTELAGEM

A maioria das aeronaves produzidas hoje são de construção totalmente metálica. De qualquer modo, muitas aeronaves em serviço, usam tecidos para cobrir asas, fuselagens e superfícies de comando. Os tecidos de algodão têm sido normalmente usados como material de cobrir aeronaves, mas outros tecidos semelhantes, como linho Dacron e fibra de vidro, estão ganhando em popularidade.

Fibras orgânicas e sintéticas são usadas na fabricação de tecidos ou materiais para revestimento de aeronaves. As fibras orgânicas incluem algodão e linho; as fibras sintéticas incluem fibra de vidro e fibra termo-retrátil.

Três das fibras sintéticas termo-retráteis mais comumente utilizadas são: a poliamida, conhecida tradicionalmente como nylon; a fibra de acrílico chamada orlon; e a fibra de polyester conhecida como Dacron.

Na fabricação original de um tecido para revestimento de aeronaves, a qualidade e resistência dos tecidos, fitas de superfície, cordéis, linhas, etc., são determinadas pelo limite de velocidade da aeronave, e a pressão por pé quadrado na carga da asa. O limite de velocidade para uma determinada aeronave, é aquela que não pode exceder a velocidade de segurança.

A carga da asa de uma aeronave é determinada, dividindo-se a área total da asa (em pés quadrados) pela carga máxima suportada pela asa.

Todos os tecidos, fitas de superfície, fitas de reforço, máquinas de costuras, cordéis, etc., usados para recobrir ou reparar aeronaves, devem ser de alta qualidade. O material auxiliar, também deve ser no mínimo de boa qualidade e de equivalentes requisitos, como aqueles originalmente usados pelo fabricante da aeronave.

Tecidos aceitáveis para cobrir asas, superfícies de comando e fuselagens estão listados nas figuras 3-1 e 3-2. Os tecidos, conforme as especificações de material aeronáutico, incorpo- ram uma contínua marcação de números de especificação ao longo da borda, para permitir a identificação do tecido. No seguimento, definições são apresentadas para simplificar a discussão sobre tecidos. Alguns desses termos são mostrados graficamente na figura 3-3. 1. Urdidura ou Urdimento (WARP) - A direção dos fios ao longo do comprimento do tecido. 2. Pontas do Urdimento (WARP END) - Ponta dos fios ao longo do comprimento. 3. TRAMA - A direção do fio através da largura do tecido. 4. “COUNT” - Número de fios por polegada na urdidura ou trama. 5. PREGA - Número de jardas feitas com linha. 6. VIÉS - Um corte feito diagonalmente na urdidura ou na trama. 7. ACETINAR - Processo de amaciar o tecido através de tratamento térmico. 8. MERCERIZAR - Processo de banho do fio de algodão ou tecido, em solução quente de soda-caústica. Tratamento submetido ao tecido, para encolhimento do material e aquisição de maior resistência e brilho. 9. ENGOMAR - Ato de colocar goma no tecido e remover dobras. 10.PICOTAR - Arremate feito no bordo do tecido, por máquina ou tesoura, numa série contínua de “V”. 1.OURELA - A borda do tecido para evitar desfiamento.

Tecidos de algodão

O tecido utilizado para aeronaves é do tipo “A” mercerizado, 4-OZ (quatro onças) feito de alta qualidade, de algodão de fibra longa. Ele é acetinado para reduzir a espessura e para a superfície ficar mais lisa. Existem de 80 a 84 fios por polegada de urdidura e trama. O mínimo de resistência a tensão é de 80 lbs/pol na largura da urdidura e da trama.

O termo 4 OZ (quatro onças) é o peso do tecido normal acabado, e de 4 oz/yard2 (onça/jarda quadrada) para 34 e 42 de largura. O tecido deste tipo e peso/polegada é aceitável para cobertura da superfície de qualquer aeronave.

Materiais Especificação Mínima resistência a tensão, novo e sem dope

Mínima resistência ao rasgo, novo e sem dope

Mínima resistência a tensão, deteriorado, sem dope

Fios por polegada Uso e observações

Tecido de algodão mercerizado Tipo “A”.

Society Automotive Engineers AMS 3806 (TSOC15 como referência).

80 lbs/pol. na urdidura e na trama.

5 lbs na urdidura e na trama.

56 lbs/pol. Mínimo de 80 e máximo de 84 na urdidura e na trama.

Requerido nas aeronaves com carga alar maior que 9 p.s.f. e com velocidades abaixo de 160 m.p.h.

Tecido de algodão mercerizado Tipo “A”.

MIL-C-5646 80 lbs/pol. na urdidura e na trama.

5 lbs na urdidura e na trama.

56 lbs/pol. Mínimo de 80 e máximo de 84 na urdidura e na trama.

Alternativa para o AMS 3806.

Tecido de nitrato de celulose, pré-dopado.

MIL-C-5643 80 lbs/pol. na urdidura e na trama.

5 lbs na urdidura e na trama.

56 lbs/pol. Mínimo de 80 e máximo de 84 na urdidura e na trama.

Altern. para MIL-C-5646 ou AMS 3806 (sem dope). Acab. com dope de nitrato de celulose.

Tecido de acetato de celulose, butirato, pré-dopado.

MIL-C-5642 80 lbs/pol. na urdidura e na trama

5 lbs na urdidura e na trama.

56 lbs/pol. Mínimo de 80 e máximo de 84 na urdidura e na trama.

Altern. para o MIL-C-5646 ou AMS 3806 (sem dope). Acab. com dope butirato acetato de celulose.

Tecido de algodão mercerizado

Society Automotive Engineers AMS 3804 (TSOC14 como referência).

65 lbs/pol. na urdidura e na trama.

4 lbs na urdidura e na trama.

46 lbs/pol. Mínimo de 80 e máximo de 94 na urdidura e na trama.

Para aeronaves com carga alar de 9 p.s.f. e que nunca exceda a velocidade de 160 m.p.h.

Tecido de algodão para planadores.

A.A.F. Nº 16128. AMS 3802.

5 lbs/pol. na urdidura e na trama.

4 lbs na urdidura e na trama

39 lbs/pol. Mínimo de 80 na urdidura e na trama.

Alternativa para o AMS 3802-A.

Linho para aeronaves

Bristish 7F1 - - - - Este material possui a resistência mínima requerida do TSO-C15.

(Parte 1 de 10)

Comentários