05 Tubulações e Conexões de Aeronaves

05 Tubulações e Conexões de Aeronaves

(Parte 1 de 7)

CAPÍTULO 5 TUBULAÇÕES E CONEXÕES INTRODUÇÃO

O termo "tubulações de aeronaves" , não se refere somente a mangueiras, tubos e conexões usados em aeronave; mas, também, aos processos de formação e instalação deles.

Ocasionalmente, pode ser necessário reparar ou substituir as tubulações que estejam danificadas nas aeronaves. Na maioria das vezes, o reparo pode ser feito pela simples substituição do tubo. Mas se a substituição não for possível, a fabricação daquela peça torna-se necessária.

A substituição de uma tubulação deverá ser feita por outra do mesmo material e do mesmo formato.

Todas as tubulações são testadas, quanto a pressão, antes da instalação inicial; e são designadas para resistir muitas vezes a pressão normal de operação, para a qual elas serão submetidas.

Se um tubo estourar ou rachar, isto geralmente é o resultado de uma severa vibração, instalação imprópria, ou dano causado pela colisão ou atrito com outro objeto.

Todas as falhas de tubulações deverão ser cuidadosamente estudadas, até que a causa da falha seja determinada.

As linhas de tubulações de aeronaves, usualmente são feitas de tubos de metal e ou conexões; ou de tubos flexíveis (mangueiras).

As tubulações de metal são amplamente usadas em aeronaves, para as linhas de combustível, óleo, fluido refrigerante, oxigênio, instrumentos e sistemas hidráulicos.

As tubulações flexíveis são, geralmente, usadas com partes móveis, ou onde a tubulação esteja sujeita a vibração considerável.

Geralmente, as tubulações de liga de alumínio ou de aço resistente à corrosão, têm substituído as tubulações de cobre.

O alto fator de fadiga, das tubulações de cobre, é a razão principal para esta substituição. A vibração o torna endurecido e frágil, e sujeito à rachaduras; porém ele pode ser restaurado pelo recozimento, aquecido ao rubro e mergulhado em água fria.

A refrigeração pelo ar resultará em um certo grau de amolecimento, mas nunca igual ao obtido com a água fria. Este processo de recozimento deve ser executado, se o tubo de cobre for removido por qualquer razão.

A inspeção do tubo de cobre por rachaduras, endurecimento, fragilidade e condições gerais, deverá ser executada em intervalos regulares para impedir falhas.

A maneabilidade, a resistência à corrosão, e o baixo peso do alumínio e suas ligações; são os principais fatores nesta adoção para as tubulações das aeronaves.

Em algumas instalações hidráulicas especiais de alta pressão (3.0 p.s.i.), são usadas as tubulações de aço resistente à corrosão; as recozidas ou as de 1/4 de dureza.

As tubulações de aço, resistente à corrosão, não devem ser recozidas para "flangear"ou dar a forma necessária. De fato, a seção flangeada é um tanto endurecida pelo trabalho à frio e pelo esforço, durante o processo de flangeamento.

Este aumento da resistência à tensão permite o uso de tubulações com paredes finas; em consequência, o peso final da instalação não é muito maior do que àquela, com tubulações de liga de alumínio e paredes mais grossas.

Antes de efetuar reparos em qualquer tubulação de aeronave, é importante efetuar uma acurada identificação do material que são feitas.

As tubulações de liga de alumínio ou aço, podem ser identificadas imediatamente, pela observação do local, onde está sendo usada como material básico. Porém é difícil determinar se o material é aço carbono, aço inoxidável, ou se é liga de alumínio 10, 3030, 5052-0, ou 2024-T.

Pode ser necessário testar amostras do material quanto à dureza pelo uso da lima, e quanto a arranhões usando um riscador. O teste do imã é o método mais simples para distinguir entre o aço inoxidável recozido austenítico e o ferrítico. Os tipos austeníticos não são magnéticos, a menos que excessivamente trabalhados à frio; considerando que o carbono cromado puro e as baixas ligas dos aços são fortemente magnéticos. A figura 5-1, fornece os métodos de identificação dos cinco materiais metálicos, usando os testes do imã e do ácido nítrico concentrado.

Material Teste do imã Teste do ácido nítrico

Aço carbono Fortemente magnético

Ação química lenta, marron

18-8 Não magnéti-co Nenhuma ação

Níquel puro Fortemente magnético Ação lenta, verde claro

Monel Ligeiramente magnético

Ação rápida, azul esverdeado

Aço níquel Não magnéti-co

Ação rápida, azul esverdeado

Figura 5-1. Identificação dos materiais metálicos

Comparando as marcações em código da tubulação substituta com a marcação original da tubulação que está sendo substituída, é possível identificar definitivamente o material usado na instalação original. A designação da liga é estampada na superfície das grandes tubulações de liga de alumínio; enquanto que nas pequenas, a designação pode ser estampada na superfície - mas muitas vezes ela é mostrada por um código de cores.

Faixas com o código de cor e com a largura máxima de quatro polegadas são pintadas nas duas extremidades e aproximadamente, no meio de algumas tubulações. Quando a faixa é composta de duas cores, a metade é usada com cada uma. Os códigos de cores usados para identificar a liga de alumínio das tubulações são:

Número de liga de alumí-nio Cor da faixa

10 Branca 3003 Verde 2014 Cinza 2024 Vermelha 2052 Púrpura 6053 Preta 6061 Azul e Amarelo 7075 Marron e Amarelo

As tubulações de liga de alumínio, 10 (1/2 duro) ou 3003 (1/2 duro), são usadas em linhas de uso geral com fluidos, sob pressão baixa ou desprezível, como as linhas dos instrumentos e condutos de ventilação.

O 2024-T e o 5052-O são materiais usados em tubulações de sistemas de uso geral, com pressão baixa ou média, como sistema hidráulico ou pneumático, com pressões entre 1.0 e 1.500 p.s.i.; e linhas de combustível e óleo. Ocasionalmente esses materiais são usados em sistemas de alta pressão (3.0 p.s.i.).

Tubulações feitas com as ligas de alumínio, 2024-T e 5052-O, resistirão uma moderada alta pressão antes de um rompimento. Estes materiais são facilmente flangeados e, são macios o bastante, para serem formados com ferramentas manuais.

Eles devem ser manuseados com cuidado para evitar arranhões, mossas e cortes.

A tubulação de aço resistente à corrosão, tanto a recozida como a de 1/4 de dureza, é usada extensivamente em sistemas hidráulicos de alta pressão, para a operação do trem de pouso, flapes, freios e semelhantes.

As linhas de freio externas devem ser sempre de aço resistente à corrosão, para diminuir o risco de danos causados por pedras, atiradas pelos pneus durante a decolagem e o pouso, e pelo manuseio descuidado no solo.

Embora as marcas de identificação das tubulações de aço sejam diferentes; cada uma, normalmente, inclui o nome do fabricante ou marca registrada, o número SAE, e a condição física do metal.

As tubulações de metal são medidas pelo diâmetro externo, sendo indicadas em 16 avos de polegada. Então, o tubo número 6 mede 6/16 de polegada (ou 3/8"), e o tubo número 8 mede 8/16 de polegada (ou 1/2"), etc.

Como acréscimo para outra classificação ou meio de identificação, as tubulações são fabricadas com várias espessuras de parede.

Assim, quando um tubo está sendo instalado, é importante conhecer não somente o material e o diâmetro externo, mas também a espessura da parede do tubo.

TUBULAÇÕES FLEXÍVEIS (Mangueiras)

As tubulações flexíveis são usadas nos sistemas de tubos, para conectar partes móveis com partes estacionárias, em locais sujeitos a vibração, ou onde uma grande flexibilidade for necessária.

Elas podem, também, atuar como um conector em sistemas de tubulações metálicas.

Mangueiras sintéticas

Os materiais sintéticos mais usados na fabricação de tubos flexíveis são: Buna-N, Neoprene, Butyl e Teflon (marca registrada da Du Pont).

(Parte 1 de 7)

Comentários