PROCESSADORES DA 4ª GERAÇÃO.

PROCESSADORES 486

O 80486 foi lançado em 1989. Naquela época, muito tempo passava entre o lançamento de um novo microprocessador e a disponibilidade de PC`s que o utilizam. Era normal um período de um a dois anos. O mercado caminhava a passos bem mais lentos. Apesar em 1991 podíamos encontrar à venda PC`s baseados em microprocessadores 486. Atualmente, antes do lançamento de um novo microprocessador, fabricantes de placas de CPU recebem protótipos para testar e usar nos projetos de suas novas placas. A produção em alta escala do microprocessador praticamente coincide com a produção das placas, seguida pela venda de PC`s utilizando o microprocessador recém-lançado. Em sua versão inicial, o 80486 operava com um clock de 25 MHz. Era cerca de duas vezes mais rápido que o 386DX-25. Em seu interior, apresentava duas grandes inovações: um co-processador matemático interno, e 8 KB de memória cache interna. Em muitos aspectos, o 80486 pode ser considerado como uma versão moderna do 386DX. Executa as mesmas instruções, possui barramento de dados e de endereços com 32 bits, características comuns a todos os microprocessadores da família 486, o que incluem: 486SX, 486DX2, 486SX2 e 486DX4. A Intel lançou posteriormente versões de 33 e de 50 MHz. A AMD lançou tempos depois os seus próprios microprocessadores 486. Entre eles, o Am486DX-40 (40 MHz).

PROCESSADOR 486SX

Muitos dizem que o 486SX foi um erro cometido pela Intel. Este microprocessador era uma versão simplificada do 80486, não possuía o co-processador matemático interno. Seu objetivo era competir com os microprocessadores Am386DX-40, que estava fazendo um grande sucesso. Assim como o 80486 original (que passou a ser chamado 486DX), o 486SX também possui 8 KB de cache interna e barramento de dados e endereços com 32 bits. Estava disponível nas versões de 25 e 33 MHz. Um usuário interessado a acrescentar um co-processador matemático ao 486SX poderia perfeitamente fazê-lo. Bastava adquirir um 487SX, que para todos os efeitos, era o "co-processador aritmético" do 486SX. As placas de CPU baseadas no 486SX em geral possuíam um soquete pronto para a instalação deste chip. Entretanto, este tipo de instalação não era nada vantajosa do ponto de vista financeiro. Era mais barato adquirir uma placa de CPU equipada com o 486DX. O 486SX tanto foi considerado um erro, que os concorrentes da Intel (AMD e Cyrix), não lançaram microprocessadores equivalentes.

PROCESSADOR 486DX2

Quando chegou o 486DX-50, o desequilíbrio se tornou muito crítico. Apesar da sua tecnologia viável, seguro e estável um microprocessador opera com 50 MHz, era muito difícil, com a tecnologia da época (1992), uma placa de CPU funcionar com uma frequência tão elevada. Tanto a memória como os chips auxiliares não podiam suportar de forma segura o funcionamento a 50 MHz. O resultado é que as placas de CPU baseadas no 486DX-50 eram muito problemáticas, apresentando até mesmo menor confiabilidade que as de 33 MHz. Para resolver esses problemas, a Intel utilizou dois clocks separados, um para o funcionamento interno do microprocessador, e outro para o funcionamento externo. Todas as operações eram realizadas internamente comandadas por um clock de 50 MHz, enquanto externamente tudo ocorria á velocidade de 25 MHz. Isto resolveu todos os problemas decorrentes da elevada velocidade externa ao microprocessador, e curiosamente não causou perdas no desempenho. Mesmo acessando a memória duas vezes mais devagar, ainda esta nova versão dos 486 era capaz de manter a cache interna sempre com instruções prontas para serem executadas. Este novo chip foi chamado de 486DX2-50. A Intel passou então a produzir o 486DX2-50, ficando apenas com a versão DX2. Foram mantidos o 486DX-33 e o 486DX-25. Logo depois, a Intel lançou o 486DX2-66. Campeão de velocidade de sua época, este microprocessador foi o mais vendido durante 1994. Este aumento de vendas ocorreu quando seus preços caíram em virtude do lançamento de microprocessadores equivalentes pela AMD e Cyrix. Inicialmente em versões de 50 e 66 MHz, foram poucos depois lançados em versões de 80 MHz. Portanto, já em 1995 tínhamos as seguintes versões do 486DX2. Todos os microprocessadores 486DX2 possuem uma característica em comum: seu clock interno é igual ao dobro do externo. Por exemplo, o 486DX2-80 opera internamente a 80 Mhz e externamente a 40 Mhz.

PROCESSADOR 486SX2

Este microprocessador fez muito pouco sucesso, tanto que foi produzido apenas pela Intel. Trata-se de uma velocidade mais veloz do 486SX. Disponível em versões de 50 e 60 MHz, este microprocessador não possui em seu interior o co-processador matemático, e opera com um clock externo igual a metade do clock interno. Por exemplo, o 486SX2-66 opera interna- mente a 66 Mhz e externamente a 33 MHz.

PROCESSADOR 486DX4

A Intel foi a primeira a lançar esta versão do 486. Com clocks internos de 75 e 100 Mhz, esses microprocessadores também usam valores diferentes para o seu clock externo. A grande diferença é que, ao invés do clock externo ser sempre à metade do interno, este divisor pode ser igual a 2, 5, 3 ou 4. Por exemplo, um 486DX4-100 pode operar com clocks externos de 50, 40, 33 ou 25 Mhz. A escolha não é feita pelo usuário, e sim pelo projetista da placa de CPU. Em geral, as placas de CPU equipadas com o 486DX4-100, para uso de mesa (desktop), operam com o clock externo de 33 MHz, enquanto os computadores portáteis (notebooks), baseados neste microprocessador o utilizam com um clock externo de 25 MHz. Pouco depois da Intel, a AMD e a Cyrix também lançaram seus microprocessadores 486DX4, São o Am486DX4 e o Cx486DX4. A AMD criou versões de 100 e 120 MHz.

Processadores AMD

Desde a época do 386, a AMD tenta alcançar a Intel trazendo algum tipo de vantagem em seus processadores. As freqüências de operação padrão da Intel sempre foram 25 MHz e 33 MHz (e múltiplos desses valores — isso continua válido até os dias de hoje). A AMD criou processadores 386 que trabalhavam a 40 MHz, ao contrário da Intel, cuja freqüência de operação máxima era de 33 MHz. Quando passou a construir processadores 486, a AMD prontamente continuou sua linha de 40 MHz, tanto na linha 486DX quanto na linha 486DX2 (486DX2-80) e 486DX4 (486DX4-120), além dos processadores convencionais. Os processadores da AMD (normalmente referenciados como Am486DX-40, Am486DX2-80, etc.) também têm uma série que permite o gerenciamento avançado de consumo elétrico. Essa série é conhecida como o DXL e tem tal denominação estampada no invólucro dos microprocessadores (como Am486DXL-40). Microprocessadores AMD que permitem que o cache de memória trabalhe em regime de Write Back trazem o código V8B estampado. Esses processadores são alimentados com 3,3 V, mesmo que não tenham a marcação.

Para os demais microprocessadores da AMD, somente os que tem marcação ―3V estampada no corpo deverão ser alimentados com 3,3 V. Os demais são alimentados com 5 V.

Processador

Modelo (CPU ID)

Am486DX

3

Am486DX2

7

Am486DX2 WB

8

AM486DX4

9

Am5x86

E

Am5x86 WB

F

Comentários