Sistema Nervoso

Sistema Nervoso

SISTEMA NERVOSO MOVIMENTO

  • Profa. Dra. Ana Claudia Fernandez

MOVIMENTO

  • Agilidade e destreza são reflexos da capacidade do sistema nervoso de planejar, coordenar e executar movimentos

  • Movimentos rápidos tem menos tempo para o processamento visual corrigir erros

  • 3 tipos de movimentos:

    • Reflexo
    • Modelos rítmicos
    • Movimentos voluntários

SISTEMA MOTOR

  • Sistema motor usa as informações do sistema sensitivo para selecionar uma resposta apropriada e fazer ajustes no movimento

  • Sistema motor é organizado em 3 níveis:

    • Medula
    • Tronco cerebral
    • Córtex cerebral (área motora)
  • Os 3 níveis são organizados hierárquica e paralelamente

MEDULA

  • Movimentos automáticos, estereotipados e reflexos

TRONCO CEREBRAL

  • 2 sistemas neuronais paralelos (medial e lateral)

    • Medial: postura
    • Lateral: controle distal dos membros, cabeça e olhos

TRONCO CEREBRAL – CONTROLE DA FUNÇÃO MOTORA

  • Controla:

    • Respiração
    • Sistema cardiovascular
    • Função gastrintestinal
    • Movimentos estereotipados do corpo
    • Equilíbrio
    • Movimento dos olhos

CÓRTEX CEREBRAL

  • Dividido em:

    • Córtex primário
    • Córtex pré-motor
    • Córtex suplementar

CÓRTEX PRIMÁRIO

  • Localizado na primeira circunvolução dos lobos frontais, anterior ao sulco central, no giro pré-central

  • Compreende áreas musculares da face, boca, mão, tronco, pés e pernas

  • Envia ordem para a realização do movimento

CÓRTEX PRÉ-MOTOR

  • Localizada anteriormente às porções laterais do córtex motor primário, giro frontal superior e médio

  • Responsável pelo planejamento do movimento

CÓRTEX SUPLEMENTAR

  • Localizado superior à área pré-motora, situando-se sobre o sulco longitudinal

  • Funciona em conjunto com a área pré-motora para provocar movimentos posturais

CÓRTEX

  • O córtex cerebral manda projeções para a medula pelo trato corticoespinal

  • Córtex pré-motor e suplementar – coordenação e planejamento do movimento – recebem informações do córtex parietal posterior e associação pré-frontal e se projetam para o córtex primário

SUBSTÂNCIA CINZENTA DA MEDULA

  • Região central da medula - substância cinzenta – formada pelos corpos dos neurônios – corno ventral

SUBSTÂNCIA BRANCA DA MEDULA

  • Formada pelos axônios dos neurônios

CEREBELO

  • Precisão do movimento

  • Age no tronco cerebral e nas áreas motoras corticais

AÇÃO DO CEREBELO

  • O cerebelo precisa aprender a seqüência de movimentos para que possa executar as correções

  • por isso quando estamos aprendendo algum movimento novo logo no inicio erramos mais, mas a cada vês que executamos o movimento seja certo ou errado o cerebelo esta aprendendo e aprimorando cada vês mais as seqüências excitatórias e inibitórias que devem ocorrer nos músculos agonistas e antagonistas para que o movimento ocorra corretamente.

GANGLIOS DA BASE

  • trabalham em associação com o córtex no controle dos padrões complexos de atividade motora:

    • pregar pregos,
    • arremessar uma bola na cesta,
    • lançar uma bola com determinada velocidade para um destino pré-determinado,
    • chutar qualquer coisa e etc

FUNÇÃO COGNITIVA DOS GÂNGLIOS DA BASE

  • processo pelo qual os gânglios da base utilizam memória armazenada no encéfalo para ocorrência da ação motora.

  • Por exemplo: ver uma cobra na cozinha de sua casa → lembrar que ela pode te picar e envenenar você → virar para trás → correr e fugir → sair na rua gritando para pedir ajuda.

  • Função dos gânglios da base na alteração da marcação do tempo e na escala de intensidade dos movimentos:

  • Determinar a velocidade com que o movimento vai ocorrer.

  • Determinar a amplitude que o movimento vai ter.

CURIOSIDADE

  • Porque sentimos cócegas? Segundo Nilberto Scaff, do departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas de São Paulo, as cócegas podem ser definidas como uma sensação especial, produzida por um leve roçar ou pela fricção de alguns pontos da pele ou das mucosas, geralmente acompanhada por riso incontido.

  • A sensação de cósega é gerada pela estimulação de receptores sensitivos cutâneos não-específicos (terminações livre), os mesmos relacionados à sensibilidade dolorosa.

  • O estímulo geralmente é tátil e suave, para que não haja o desencadeamento de sensações mais desagradâveis, Com a dor. Além da sensação característica, há a tentativa de afastamento do estímulo da cócega.

  • Essas oservações levam à hipótese de que as cócegas fazem parte de um conjunto de sensações que incluem a coceira e a dor, e que geram comportamentos de autoproteção, na tentativa de afastar o estímulo potencialmente nocivo.

INTERAÇÃO DOS SISTEMAS SENSORIAL E MOTOR

  • As informações sensoriais são integradas em todos os níveis do sistema nervoso e causam respostas motoras apropriadas

  • Medula espinal – reflexo simples

  • Tronco cerebral – respostas complexas

  • Cérebro – respostas mais complicadas

Comentários