Determinação do teor de Carbonato de Cálcio em um material

Determinação do teor de Carbonato de Cálcio em um material

(Parte 1 de 2)

Universidade do Estado do pará - UEPA

Centro de Ciências Sociais e Educação - CCSE

Licenciatura Plena em Ciencias Naturais - Química Roger Leomar.

O equilíbrio químico na eletroquímica

Abril-2010 Belém-Pa

Universidade do Estado do pará-UEPA

Centro de Ciências Sociais e Educação-CCSE

Licenciatura Plena em Ciencias Naturais- Química. Roger Leomar

Relatórios: Determinação do teor de Carbonato de Cálcio em um material

Relatório entregue como requisito parcial referente à 1° avaliação da disciplina:O equilíbrio químico na eletroquímica, orientado e ministrado pelo Professor Luiz Roberto.

Abril-2010 Belém-Pa

1 -INTRODUÇÃO

Na natureza, o carbonato de cálcio (CaCO3) ocorre na forma de vastos depósitos sedimentares resultantes da fossilização dos restos de vida marinha pré-histórica. Nestes depósitos, o carbonato de cálcio ocorre principalmente como calcita, a forma mais comum, e como aragonita, mais freqüente em mares temperados. Estas duas formas de carbonato de cálcio diferem entre si quanto aos seus arranjos cristalinos. Vastos leitos de aragonita formam as Bahamas e o leito do Mar Vermelho. A calcita ocorre, mais freqüentemente, como calcário, dolomita (um carbonato misto de cálcio e magnésio [CaMg(CO3)2]) e mármore.

Toda rocha constituída de carbonato de cálcio e suscetível de ser polida é denominada de mármore; diferentes impurezas conferem ao mármore diferentes colorações, tornando-o mais, ou menos, valioso. Tanto o mármore, como o calcário, caracterizam-se por apresentar baixa dureza e por reagirem, efervescendo, com ácidos.

2 – PRÁTICA: Determinação de Teor de Carbonato de Cálcio em um material .

No dia 19 de março de 2010, foi realizado uma experiência que determinou-se a quantidade de massa de uma amostra, onde coletou-se gás carbônico gerado pela reação entre o mármore (dentro de um tudo de ensaio amarrado a um barbante na “boca do Kitasato”), para reagir com o HCl (inclinado-os ate a solução ácida entra em contato com o mármore) e pelo motivo dos gases apresentarem densidades muito menores que as dos líquidos, foi possível coletar pelo deslocamento do volume no equipamento(com pressão de 1 atm, temperatura 17°C).

Fragmentos do mármore em contato com ácido clorídrico diluído (HCl), a frio, reagem causando efervescência; isto se deve ao desprendimento de gás carbônico (CO2).O carbonato de cálcio ocorre, ainda, como depósitos em cavernas: são as estalactites, estalagmites, electites e incrustações. O carbonato de cálcio é uma importante matéria prima na produção de cimento. A partir dele são, também,feitas a cal virgem e a cal hidratada. A fabricação de papel de alta qualidade envolve uso extensivo desta matériaprima de granulação especial: o papel opaco usado para livros-texto contém carbonato de cálcio. O giz contém carbonato de cálcio pulvurulento, de granulação fina.

2.2 - Objetivo:

Determinar o teor de carbonato de cálcio em uma amostra de mármore através do volume do gás carbônico gerado pela sua reação com uma solução de ácido forte. Medir o volume gerado pela reação;

Determinar massa de substancias sólidas;

Efetuar cálculo estequiométrico;

Utilizar algarismo significativo;

2.3 - Material Utilizado:

Uma garra universal; Base de ferro;

Béquer 400ml;

Barbante;

Proveta 50ml;

Mangueira;

Piceta

Kitasato 250 ml;

Água de Cal.

Tubo de ensaio

2.4 – Procedimento Experimental:

PROCEDIMENTO 1: Colocar água no proveta junto com a mangueira no béquer

PROCEDIMENTO 2: Calcular a densidade do HCl Massa do CaCo3 = 0,1918

PROCEDIMENTO 3: Solução

Preencher a mangueira com água;

Amarrar um barbante (de tamanho suficiente para ser tocado ao fundo do Kitasato) no tubo de ensaio;

Colocar a amostra de CaCo3 pesado dentro do tubo de ensaio;

Colocar 20ml de HCl no Kitasato;

Prender o barbante com a rolha e com o tubo de ensaio dentro.

PROCEDIMENTO 4:

Conectando através de uma mangueira com o kitasato (com CaCo3 e HCl) e o béquer (com água e a proveta);

Fica inclinando o Kitasato, para misturar CaCo3 com HCl.

PROCEDIMENTO 5: Reação 1 (quantitativa); Calcular a quantidade de 2

Proveta de 50 ml: Volume Ocupado pelo 2 24,5 ml. Por tanto:

Para calcular o valor da fração molar do produto da reação tem-se:

A fração molar de gás carbônico no produto será:

Com este pode-se calcular a pressão parcial do 2.

Usando a lei dos gases ideais temos:

(Parte 1 de 2)

Comentários