(Parte 1 de 8)

Aprendendo Django no Planeta Terra - vol. 2

Marinho Brandão 1ª edição - 2009

Copyright © 2008 por José Mário Neiva Brandão revisão Mychell Neiva Rodrigues ilustrações e capa João Matheus Mazzia de Oliveira impressão e acabamento Lulu.com

Todos os direitos reservados por

José Mário Neiva Brandão

E-mail: marinho@aprendendodjango.com w.aprendendodjango.com

Licença

Esta obra e seus personagens são licenciados sob a licença Creative Commons

Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil ( http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.5/br/ ).

As premissas básicas desta licença são que:

Você pode •copiar, distribuir, exibir e executar a obra

Sob as seguintes condições

•Atribuição. Você deve dar crédito ao autor original, da forma especificada pelo autor ou licenciante. •Uso Não-Comercial. Você não pode utilizar esta obra com finalidades comerciais. •Vedada a Criação de Obras Derivadas. Você não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta.

Observações

•Para cada novo uso ou distribuição, você deve deixar claro para outros os termos da licença desta obra. •Qualquer uma destas condições podem ser renunciadas, desde que Você obtenha permissão do autor. •Nada nesta licença atrapalha ou restringe os direitos morais do autor.

O autor desta obra e de seus personagens é José Mário Neiva Brandão (codinome "Marinho Brandão").

A autoria das ilustrações é de João Matheus Mazzia de Oliveira. A revisão e edição do texto é de Mychell Neiva Rodrigues.

Sumário

Dicas para o aprendizado7
19. Signals e URLs amigáveis com Slugs9
20. Uma galeria de imagens simples e útil31
21. Organizando as coisas com Tags58
2. O mesmo site em vários idiomas92
23. Fazendo um sistema de Contas Pessoais118
24. Fazendo mais coisas na aplicação de Contas Pessoais141
25. A aplicação de Contas Pessoais sai do backstage160
26. Separando as contas pessoais para usuários191
27. Funções de usuários209
28. Programando com testes automatizados238
29. Criando ferramentas para a linha de comando260
30. Adentrando a selva e conhecendo os verdadeiros bichos269

Volume 2

Volume 1 Agradecimentos Apresentação Dicas para o aprendizado 1. Alatazan chega ao Planeta Terra 2. O que é Django? Como é isso? 3. Baixando e Instalando o Django 4. Criando um Blog maneiro 5. Entendendo como o Django trabalha 6. O RSS é o entregador fiel 7. Fazendo a apresentação do site com templates 8. Trabalhando com arquivos estáticos 9. Páginas de conteúdo são FlatPages 10. Permitindo contato do outro lado do Universo 1. Deixando os comentários fluírem 12. Um pouco de HTML e CSS só faz bem 13. Um pouco de Python agora 14. Ajustando as coisas para colocar no ar 15. Infinitas formas de se fazer deploy 16. Preparando um servidor com Windows 17. Preparando um servidor com Linux 18. WSGI e Servidores compartilhados

Volume 2 5

Dicas de Aprendizado

Antes de entrar de cabeça na leitura do livro, é bom manter em mente alguns princípios que vão facilitar a compreensão, manter a calma em alguns momentos e fortalecer o aprendizado.

Veja abaixo:

Não copie e cole, digite

A pior coisa a fazer para se aprender algo é buscar o atalho de copiar e colar, com aquela velha auto-ilusão "ahh, já entendi isso, vou copiar e colar só pra confirmar que eu entendi".

Isso não cola - ou pelo menos não cola na sua memória. Digite cada comando, cada linha, cada coisinha, faça por você mesmo, e os resultados serão mais sólidos e duradouros.

Calma, uma coisa de cada vez

O detalhamento inicial é feito assim por sua própria natureza. À medida que algumas coisas são explicadas detalhadamente, elas passam a ser apontadas de forma mais objetiva dali em diante, e coisas em foco naquele capítulo passam a ser mais detalhadas.

Assim, se você continua pensando que o livro está detalhando demais, é um bom sinal de que aprendeu as lições dos capítulos anteriores de tal forma que nem notou. Parabéns!

Não existe mágica, não se iluda com isso

O Django não é uma ferramenta mágica. Muito menos de truques. A produtividade do Django está ligada a três coisas muito importantes:

•Framework. Trabalhar com um framework é mais produtivo simplesmente porque você não faz coisas que já estão prontas e levaram anos para serem criadas de forma que você possa usar facilmente agora. Esse valor só tem essa força e dinâmica porque o Django é software livre.

•Conhecimento. O seu conhecimento do Django e de conceitos aprofundados de Web, Programação Orientada a Objetos e Bancos de Dados faz TODA a diferença.

•Python. É uma linguagem de fácil compreensão, não burocrática e prática. Muito prática. Isso evita que seu cérebro se perca em interpretar coisas e símbolos que não precisaria interpretar e mantenha o foco na solução.

Portanto, não existem atalhos, nem vida fácil, mas você pode facilitar as coisas e se divertir com isso, usando as ferramentas certas, e agindo com foco e persistência. Então, numa bela manhã vai perceber que está produzindo com qualidade e rapidez, por seus próprios méritos.

Versão do Django

A versão do Django adotada nesta série é a versão 1.0.2.

Algumas pessoas têm encontrado algumas dificuldades em decorrência de usarem uma versão diferente. Há diferenças entre versões em aspectos que temos trabalhado, portanto, use a versão 1.0.2 ou superior.

Fique ligado nas extensões do arquivos

No Windows, o padrão é ocultar as extensões dos arquivos. Por exemplo: para um arquivo "teste.txt", será exibido apenas como "teste".

Isso é tremendamente chato para o desenvolvedor.

Para facilitar a sua vida, vá numa janela do Explorer, ao menu Ferramentas -> Opções de Pasta e desabilite a opção que você ve na imagem abaixo.

Capítulo 19: Signals e URLs amigáveis com Slugs

Em Katara há uma classe de artistas autodenominados "Artistas Peônicos Geométricos Biocorretistas Surfadores", um nome criado por eles que não é visto da mesma forma pelos agricultores.

Sua arte consiste em levar seus discos voadores até uma plantação bacana, amarrar um cabo à nave, e prender um cortador de grama na outra extremidade do cabo.

Surfando em pranchas voadoras, eles giram suas naves enquando sobem e descem no ar, cortando e quebrando a plantação em formas geométricas como bolas, bolinhas, bolonas, meias-luas e outras formas curvas sem nenhum fundamento. Há aqueles de nível avançado que já fazem quadradinhos, losangos e outras coisas, mas ainda assim geométricas demais para agradar a qualquer crítico de arte ou agricultor.

Depois de um tempo, esses Artistas Peônicos Geométricos Biocorretistas

Surfadores foram expulsos de Katara, pra deixar seus críticos de arte e agricultores em paz.

E saíram em busca de outros planetas. Mas agora eles gostam de dar um clima à situação, antes de se revelar como autores da arte.

(Parte 1 de 8)

Comentários