Doença de Alzheimer

Doença de Alzheimer

As demências são síndromes que se referem à perda das habilidades intelectuais de modo que interfere profundamente na vida do indivíduo como no social, ocupacional, trabalho, comunicação, entre outras.

  • As demências são síndromes que se referem à perda das habilidades intelectuais de modo que interfere profundamente na vida do indivíduo como no social, ocupacional, trabalho, comunicação, entre outras.

Na fase inicial os sintomas mais importantes são:

  • Na fase inicial os sintomas mais importantes são:

  • perda de memória, confusão e desorientação.

  • ansiedade, agitação, ilusão, desconfiança.

  • alteração da personalidade e do senso crítico.

  • dificuldades com as atividades da vida diária como alimentar-se e banhar-se.

  • alguma dificuldade com ações mais complexas como cozinhar, fazer compras, dirigir, telefonar. 

dificuldade em reconhecer familiares e amigos.

  • dificuldade em reconhecer familiares e amigos.

  • perder-se em ambientes conhecidos.

  • alucinações, perda de peso, incontinência urinária.

  • dificuldades com a fala e a comunicação.

  • movimentos e fala repetitiva.

  • distúrbios do  sono.

  • problemas com ações rotineiras.

  • dependência progressiva.

  • vagância.

  • início de dificuldades motoras.

Dependência total.

  • Dependência total.

  • Imobilidade crescente.

  • Incontinência urinária e fecal.

  • Tendência em assumir a posição fetal.

  • Mutismo.

  • Restrito a poltrona ou ao leito.

  • Presença de úlceras por pressão (escaras).

  • Perda progressiva de peso.

  • Infecções urinárias e respiratórias freqüentes.

  • Término da comunicação.

  • Morte

Risco Genético;

  • Risco Genético;

  • A idade;

  • O gênero feminino;

  • A história familiar positiva;

  • Síndrome de Down;

  • Nível sócio-econômico e educacional;

  • Trauma craniano;

Não há nenhum exame que permita diagnosticar, de modo inquestionável, a doença. A única forma de o fazer é examinando o tecido cerebral obtido por uma biopsia ou necrópsia.... assim, o diagnóstico da doença de Alzheimer faz-se pela exclusão de outras causas de demência, pela análise do historial do paciente, por análises ao sangue, tomografia ou ressonância, entre outros exames.

  • Não há nenhum exame que permita diagnosticar, de modo inquestionável, a doença. A única forma de o fazer é examinando o tecido cerebral obtido por uma biopsia ou necrópsia.... assim, o diagnóstico da doença de Alzheimer faz-se pela exclusão de outras causas de demência, pela análise do historial do paciente, por análises ao sangue, tomografia ou ressonância, entre outros exames.

Embora não haja até agora tratamento específico para a cura da doença de Alzheimer, existem abordagens terapêuticas que, associadas, produzem efeitos benéficos.

  • Embora não haja até agora tratamento específico para a cura da doença de Alzheimer, existem abordagens terapêuticas que, associadas, produzem efeitos benéficos.

  • Todavia, o tratamento disponível atualmente tem sua estratégia terapêutica alicerçada em três pilares: melhorar a cognição, adiar a evolução e tratar os sintomas e as alterações de comportamento

Psiquiatras

  • Psiquiatras

  • Neurologistas

  • Geriatras

  • Enfermeiras

  • Psicólogas

  • Assistentes Sociais

A intervenção fonoaudiológica ocorre desde a fase inicial, onde aparecem apenas desordens de linguagem até a fase final, onde o paciente apresenta agnosia visual e tátil para a comida, apraxia tanto para preparar bolo, como para deglutir e alterações fisiológicas da deglutição como:

  • A intervenção fonoaudiológica ocorre desde a fase inicial, onde aparecem apenas desordens de linguagem até a fase final, onde o paciente apresenta agnosia visual e tátil para a comida, apraxia tanto para preparar bolo, como para deglutir e alterações fisiológicas da deglutição como:

Método de Órgãos Fonoarticulatórios

  • Método de Órgãos Fonoarticulatórios

  • Técnica: Técnica de Rotação de língua no vestíbulo bucal

  • Objetivo da escolha: trabalhar o reposicionamento da língua e da laringe, já que o paciente possui alteração fisiológica da deglutição, como a redução da lateralização da língua.

Técnica: Técnica Mastigatória

  • Técnica: Técnica Mastigatória

  • Objetivo da escolha: por ser uma técnica universal para se trabalhar a melhora da coordenação fonodeglutitória do paciente e o padrão articulatório, já que o paciente de DA apresenta distúrbios neurológicos que prejudicam a contração coordenada dos músculos orofaciais causando disfagia e secundariamente obstrução das vias aéreas.

Método de Fala

  • Método de Fala

  • Técnica: Técnica de Fala Mastigada

  • Objetivo da escolha: indicada para a disfonia do DA, objetivando o aumento da dinâmica fonoarticulatória.

Método dos Sons Facilitadores

  • Método dos Sons Facilitadores

  • Técnica: Técnica dos Sons Fricativos

  • Objetivo da escolha: o paciente com DA apresenta problemas respiratórios havendo necessidade de tratar a incoordenação pneumofônica através dessa técnica, objetivando melhorar a coordenação pneumofonoarticulatória, trabalhar apoio respiratório, direcionar o fluxo aéreo.

Técnica: Técnica dos Sons Vibrantes

  • Técnica: Técnica dos Sons Vibrantes

  • Objetivo da escolha: para equilibrar a coordenação pneumofonoarticulatória, já que o paciente apresenta problemas respiratórios.

Método de Competência Glótica

  • Método de Competência Glótica

  • Técnica: Técnica de Emissão em TMF

  • Objetivo da escolha: técnica utilizada para hipotonia laríngea com o objetivo de aumentar a resistência glótica e dar estabilidade fonatória.

Técnica: Técnica de Firmeza Glótica

  • Técnica: Técnica de Firmeza Glótica

  • Objetivo da escolha: favorecer ajustes na musculatura laríngea, além de melhorar a coaptação glótica e a coordenação PFA. Essa técnica é indicada para vozes de qualidade destimbrada.

  • Técnica: Técnica de Sopro e Som Agudo

  • Objetivo da escolha: para favorecer a coaptação das PVs e o equilíbrio muscular laríngeo, já que o paciente apresenta hipotonia laríngea.

Técnica Fricativos Compostos

  • Técnica Fricativos Compostos

  • Objetivo da escolha: é uma técnica universal que objetiva tratar a incoordenação pneumofônica melhorando o apoio respiratório.

CORRÊA, A. C. O. Envelhecimento, Depressão e Doença de Alzheimer. Belo Horizonte: Health, 1996. p. 135–138; 145–149.

  • CORRÊA, A. C. O. Envelhecimento, Depressão e Doença de Alzheimer. Belo Horizonte: Health, 1996. p. 135–138; 145–149.

  • FREITAS, E. V. et al. Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro: Guanarabara Koogan, 2006.

  • MACIEL Jr., J. A. Demências primárias e doença de Alzheimer: como diagnosticar e tratar. Rev. Bras. Med., v. 63, p. 88–94, dez. 2006.

  • MARCHESAN, I. Q. Tópicos em fonoaudiologia.São Paulo, Lovise,2000. v.2. p.220.

  • RUSSO, Iêda C. Pacheco. Intervenção fonoaudiológica na terceira idade. Rio de Janeiro: Revinter, 2004. 136.

  • ALZHEIMERMED: informação & solidariedade. 2004/2005. Disponível em: <http://www.alzheimermed.com.br>. Acesso em 21 e 23 fev. 2009.

  • NÚCLEO de Informações sobre o Mal de Alzheimer. Disponível em: <http://br.geocities.com/alzheimerni/>. Acesso em 21 e 23 fev. 2009.

  • PORTAL ABRAz: Associação Brasileira de Alzheimer. Disponível em: <http://www.abraz.com.br/>. Acesso em 21 e 23 fev. 2009.

Comentários