(Parte 1 de 5)

Guia Foca GNU/Linux Gleydson Mazioli da Silva <gleydson@guiafoca.org>

Versão 5.60 - terça, 27 de novembro de 2007

Resumo

Este documento tem por objetivo ser uma referência ao aprendizado do usuário e um guia de consulta, operação e configuração de sistemas Linux (e outros tipos de *ix). A última versão deste guia pode ser encontrada na Página Oficial do Foca GNU/Linux (http://w. guiafoca.org). Novas versões são lançadas com uma freqüência mensal e você pode receber avisos de novos lançamentos deste guia preenchendo um formulário na página Web.

Nota de Copyright

Copyright © 1999-2007 - Gleydson Mazioli da Silva.

Permission is granted to copy, distribute and/or modify this document under the terms of the GNU Free Documentation License, Version 1.1 or any later version published by the Free Software Foundation; A copy of the license is included in the section entitled “GNU Free Documentation License”.

Sumário

1.1 Antes de começar3
1.2 Pré-requisitos para a utilização deste guia4
1.3 O Linux5
1.3.1 Algumas Características do Linux5
1.4 Software Livre8
2.1 Interpretador de comandos1
2.2 Terminal Virtual (console)12
2.3 Curingas12

2 Explicações Básicas 1

3.1 Placa de expansão15
3.2 Nomes de dispositivos16
3.3 Configuração de Hardware16
3.3.1 IRQ - Requisição de Interrupção17
3.3.2 DMA - Acesso Direto a Memória19
3.3.3 I/O - Porta de Entrada/Saída20
3.4.1 Jumpers21
3.4.2 Dip-Switches2
3.4.3 Jumperless (sem jumper)2
3.5 Listando as placas e outros hardwares em um computador23
3.6 Conflitos de hardware23
3.7 Barramento23
3.8 Placas on-board / off-board25
3.9 Hardwares específicos ou “For Windows”26
3.10 Dispositivos específicos para GNU/Linux27
3.1 Configurações de Dispositivos27
3.1.1 Configurando uma placa de rede27
3.1.2 Configurando uma placa de SOM no Linux28
3.1.3 Configurando um gravador de CD/DVD no Linux29
3.1.4 Configurando o gerenciamento de energia usando o APM31
3.1.5 Configurando o gerenciamento de energia usando ACPI32
3.1.6 Ativando WakeUP on Lan3

SUMÁRIO i

4.1 Quais as diferenças iniciais35
4.2 Comandos equivalentes entre DOS/CMD do Windows e o Linux37
4.2.1 Arquivos de configuração39
4.3 Usando a sintaxe de comandos DOS no Linux39
4.4 Programas equivalentes entre Windows/DOS e o Linux40

4 Para quem esta migrando (ou pensando em migrar) do DOS/Windows para o Linux 35

5.1 Partições45
5.2 Sistema de Arquivos46
5.3 Partição EXT2 (Linux Native)47
5.3.1 Criando um sistema de arquivos EXT2 em uma partição47
5.3.2 Criando um sistema de arquivos EXT2 em um arquivo48
5.4 Journaling49
5.5 Partição EXT3 (Linux Native)49
5.5.1 Criando um sistema de arquivos EXT3 em uma partição50
5.5.2 Criando um sistema de arquivos EXT3 em um arquivo50
5.5.4 Convertendo de EXT3 para EXT251
5.6 Sistema de arquivos reiserfs52
5.6.1 Criando um sistema de arquivos reiserfs em uma partição52
5.6.2 Criando um sistema de arquivos reiserfs em um arquivo53
5.6.3 Nomeando uma partição de disco53
5.6.4 Criando o diretório especial lost+found54
5.6.5 dumpe2fs54
5.6.6 Partição EXT2 ou Arquivo?54
5.7 Partição Linux Swap (Memória Virtual)5
5.7.1 Criando sistema de arquivos Swap em uma partição5
5.7.2 Criando um sistema de arquivos Swap em um arquivo56
5.7.3 Partição Swap ou Arquivo?57
5.8 O sistema de arquivos /proc57
5.9 LVM - Logical Volume Manager58
5.9.1 Representação gráfica do LVM59
5.9.2 Performance do LVM60
5.9.3 Colocando LVM em seu sistema60
5.9.4 Aumentando o tamanho de um volume lógico61
5.9.5 Diminuindo um volume lógico62
5.10 Formatando disquetes62
5.10.1 Formatando disquetes para serem usados no Linux62
5.10.2 Formatando disquetes compatíveis com o DOS/Windows63
5.10.3 Programas de Formatação Gráficos63
5.1 Pontos de Montagem64
5.12 Identificação de discos e partições em sistemas Linux64
5.13 Montando (acessando) uma partição de disco65
5.13.1 fstab6
5.14 Desmontando uma partição de disco68

SUMÁRIO i

6.1.1 Criando o arquivo de configuração do LILO69
6.1.2 Opções usadas no LILO72
6.1.3 Um exemplo do arquivo de configuração lilo.conf74
6.2 GRUB75
6.2.1 Como o GRUB trabalha com discos e partições75
6.2.2 Instalando o GRUB76
6.2.3 No disco flexível (somente linha de comando)7
6.2.4 No disco flexível (com interface de menu)7
6.2.5 Opções do arquivo de configuração78
6.2.6 Um exemplo de arquivo de configuração80
6.2.7 Usando a linha de comandos do GRUB82
6.2.8 Removendo o GRUB do MBR83
6.2.9 Como obter informações mais detalhadas83
6.3 Parâmetros de inicialização passados ao kernel83
6.4 LOADLIN84
6.4.1 Opções do LOADLIN84
6.4.2 Exemplo de inicialização com o LOADLIN85
6.5 syslinux85
6.5.1 Criando um disquete de inicialização com o syslinux86
6.5.2 O arquivo SYSLINUX.CFG86
6.5.3 Formatação dos arquivos de tela do syslinux87

SUMÁRIO iv

7.1 Tipos de Execução de comandos/programas89
7.2 Executando programas em seqüência90
7.3 ps90
7.4 top90
7.5 Controle de execução de processos91
7.5.1 Interrompendo a execução de um processo91
7.5.2 Parando momentaneamente a execução de um processo92
7.5.4 fg92
7.5.5 bg92
7.5.6 kill93
7.5.7 killall93
7.5.8 killall594
7.5.9 Sinais do Sistema94
7.6 nohup95
7.7 nice96
7.8 fuser96
7.9 tload96
7.10 vmstat97
7.1 pidof98
7.12 pstree98
7.13 Fechando um programa quando não se sabe como sair98
7.14 Eliminando caracteres estranhos100

SUMÁRIO v

8.1 ls101
8.2 cd103
8.3 pwd103
8.4 mkdir103
8.5 rmdir104

8 Comandos para manipulação de diretório 101

9.1 cat105
9.2 tac105
9.3 rm106
9.4 cp106

SUMÁRIO vi

10.1 clear109
10.2 date109
10.3 df110
10.4 ln110
10.5 du1
10.6 find112
10.7 free113
10.8 grep114
10.9 head114
10.10nl115
10.11more115
10.12less115
10.13sort116
10.14tail117
10.15time117
10.16touch117
10.17uptime118
10.18dmesg118
10.19mesg118
10.20echo119
10.21su119
10.22sync119
10.23uname120
10.24reboot120
10.25shutdown120
10.26wc121
10.27seq122
10.28chattr122
10.29lsattr124
10.31cmp125
10.32dirname125
10.33diff125
10.34pr126
10.35patch127
10.36whereis128
10.37which128
10.38zforce128
10.39gzexe128
10.40znew129

SUMÁRIO vii

1.1 who131
1.2 Telnet131
1.3 finger132
1.4 ftp132
1.5 whoami133
1.6 dnsdomainname133
1.7 hostname133
1.8 talk133
1.9 ping134
1.10rlogin134
1.1rsh135
1.12w135
1.13traceroute135
1.14netstat136
1.15wall136

1 Comandos de rede 131

12.1 adduser137
12.2 addgroup138
12.4 newgrp139
12.5 userdel139
12.6 groupdel140
12.7 lastlog140
12.8 last140
12.9 sg141
12.10Adicionando o usuário a um grupo extra142
12.11chfn142
12.12id143
12.13logname143
12.14users143
12.15groups144

SUMÁRIO viii

13.1 Donos, grupos e outros usuários145
13.2 Tipos de Permissões de acesso146
13.3 Etapas para acesso a um arquivo/diretório147
13.4 Exemplos práticos de permissões de acesso147
13.4.1 Exemplo de acesso a um arquivo147
13.4.2 Exemplo de acesso a um diretório148
13.5 Permissões de Acesso Especiais149
13.6 A conta root150
13.7 chmod151
13.8 chgrp152
13.9 chown152
13.10Modo de permissão octal153
13.11umask154

13 Permissões de acesso a arquivos e diretórios 145

14.1 >157
14.2 >>157
14.4 <<158
14.5 | (pipe)158
14.6 Diferença entre o “|” e o “>”158
14.7 tee159

SUMÁRIO ix

15.1 O que é uma rede161
15.2 Protocolo de Rede162
15.3 Endereço IP162
15.3.1 Classes de Rede IP163
15.3.2 Para instalar uma máquina usando o Linux em uma rede existente163
15.3.3 Endereços reservados para uso em uma rede Privada164
15.4 Interface de rede164
15.4.1 A interface loopback165
15.4.2 Atribuindo um endereço de rede a uma interface (ifconfig)165
15.5 Roteamento166
15.5.1 Configurando uma rota no Linux166
15.6 Resolvedor de nomes (DNS)167
15.6.1 O que é um nome?168
15.6.2 Arquivos de configuração usados na resolução de nomes169
15.6.3 Executando um servidor de nomes171
15.7 Serviços de Rede171
15.7.1 Serviços iniciados como Daemons de rede172
15.7.2 Serviços iniciados através do inetd172
15.8 Segurança da Rede e controle de Acesso175
15.8.1 /etc/ftpusers175
15.8.2 /etc/securetty175
15.8.3 O mecanismo de controle de acessos tcpd176
15.8.4 Firewall180
15.9 Outros arquivos de configuração relacionados com a rede180
15.9.1 /etc/services180

SUMÁRIO x

16.1 O Kernel183
16.2 Módulos184
16.3 Como adicionar suporte a Hardwares e outros dispositivos no kernel184
16.4 kmod185
16.5 lsmod185
16.6 insmod185
16.7 rmmod186
16.8 modprobe186
16.9 depmod186
16.10modconf187
16.11Recompilando o Kernel187
16.12Arquivos relacionados com o Kernel e Módulos192
16.12.1 /etc/modules192
16.12.2 modules.conf192
16.13Aplicando Patches no kernel193
17.1 Formato do arquivo de log195
17.2 Daemons de log do sistema196
17.2.1 syslogd196
17.2.2 klogd199
17.3 logger200

17 Arquivos e daemons de Log 195

18.1 O que fazem os compactadores/descompactadores?201
18.1.1 Tipos de compactação202
18.2 Extensões de arquivos compactados203
18.3 gzip204
18.4 zip204
18.5 unzip206
18.6 tar207
18.7 bzip2208

SUMÁRIO xi

19.1 Porque usar a Debian?213
19.2 Pacotes existentes na Debian214
19.3 O que é sid/testing/frozen/stable?214
19.4 Como obter a Debian215
19.5 Programas de configuração215
19.6 Arquivos de inicialização216
19.7 Níveis de Execução217

19 A distribuição Debian GNU/Linux 213

vels)217
19.8 Rede no sistema Debian218
19.9 Bug tracking system219
19.10Onde encontrar a Debian para Download?219
19.11Lista de pacotes para uma instalação rápida e manual219
19.1.1 Pacotes Básicos (Altamente Recomendado)220
19.1.2 Compilação do Kernel e programas em linguagem C220
19.1.3 X1 (básico)220
19.1.4 Window Managers para o X221
19.1.5 Impressão (texto e gráfico com sistema de spool)221
19.1.6 Som (mixer, mp3, Midi, wav, CD-Player)221
19.1.7 Programas de Internet (clientes)221
19.1.8 Acessórios221
19.1.9 Rede221

19.7.1 Entendendo o funcionamento dos níveis de execução do sistema (runle-

20.1 dpkg223
20.1.1 Pacotes223
20.1.2 Instalar pacotes223
20.1.3 Dependências224
20.1.4 Listar pacotes existentes no sistema224
20.1.5 Removendo pacotes do sistema224
20.1.7 Mostrar descrição do pacote225
20.1.8 Procura de pacotes através do nome de um arquivo225
20.1.9 Status do pacote225
20.1.10 Procurando pacotes com problemas de instalação225
20.1.1 Mostrando a lista de pacotes do sistema225
20.1.12 Obtendo uma lista de pacotes para instalar no sistema226
20.1.13 Configurando pacotes desconfigurados226
20.1.14 Listando arquivos de um pacote226
20.2 apt226
20.2.1 O arquivo /etc/apt/sources.list227
20.2.2 O arquivo /etc/apt/apt.conf229
20.2.3 Copiando a lista de pacotes disponíveis229
20.2.4 Utilizando CDs oficiais/não-oficiais/terceiros com o apt229
20.2.5 Instalando novos pacotes230
20.2.6 Removendo pacotes instalado230
20.2.7 Atualizando sua distribuição230
20.2.8 Removendo pacotes baixados pelo apt232
20.2.9 Procurando por pacotes através da descrição232
20.2.10 Procurando um pacote que contém determinado arquivo232
20.2.1 Modos eficazes de compilação do código fonte para a Debian233
20.2.12 Verificando pacotes corrompidos233
20.2.13 Corrigindo problemas de dependências e outros erros233

SUMÁRIO xii

21.1 Variáveis de Ambientes235
21.2 Modificando o Idioma usado em seu sistema235
21.3 alias237
21.4 Arquivo /etc/profile237
21.5 Arquivo .bash_profile238
21.6 Arquivo .bashrc238
21.7 Arquivo .hushlogin238
21.8 Arquivo /etc/environment238

SUMÁRIO xiii

2.1 Portas de impressora241
2.2 Imprimindo diretamente para a porta de impressora241
2.3 Imprimindo via spool242
2.4 Impressão em modo gráfico243
2.4.1 Ghost Script243
2.5 Magic Filter245
2.5.1 Instalação e configuração do Magic Filter245
2.5.2 Outros detalhes técnicos sobre o Magic Filter245
23.1 Acentuação249
23.1.1 Acentuação em modo Texto249
23.1.2 Acentuação em modo gráfico251
23.2 Número de Cores do ambiente gráfico251
23.2.1 Configurando o número de cores para quem inicia pelo prompt252
23.2.2 Configurando o número de cores para quem inicia pelo XDM253
23.2.3 Ajustando o alinhamento da imagem no X e outras configurações253

23 Configuração do sistema 249

24.1 Gravando CDs e DVDs no Linux255
24.1.1 Gravando CDs / DVDs de dados255
24.1.2 Gravando um CD de audio256
24.1.3 Cópia de CD para CD no mesmo gravador257
24.1.4 Gravação massiva de CDs258
24.1.5 Gravação de CDs diretamente através de arquivos mp3 ou Ogg258
24.1.6 Backup de dados para 1 ou mais CDs258
24.1.7 Aplicações gráficas para gravação de CDs258
24.1.8 Criar a capa de frente e verso do CD/DVD258
24.2 Executando vídeos DIVX258
24.3 Assistindo DVDs259
24.4 Convertendo músicas no formato wav para mp3259

SUMÁRIO xiv

25.1 O que é compilação?261
25.2 Compilador261
26.1 Checagem dos sistemas de arquivos263
26.1.1 fsck.ext2263
26.2 reiserfsck264
26.3 fsck.minix265
26.4 badblocks265
26.5 defrag266
26.6 Verificando e marcando setores danificados em um HD267
26.7 Limpando arquivos de LOGS268
26.8 Recuperando partições apagadas269
26.9 Recuperando a senha de root perdida269
26.10Tarefas automáticas de manutenção do sistema270
26.11cron270
26.1.1 O formato de um arquivo crontab271
26.12at272

26 Manutenção do Sistema 263

27.1 Diretório /etc/alternatives275
27.2 Arquivo /etc/default/devpts275
27.3 Arquivo /etc/default/rcS275
27.4 Arquivo /etc/console-tools/config276
27.5 Diretório /etc/menu-methods276
27.6 Arquivo /etc/menu-methods/translate_menus276
27.7 Arquivo /etc/networks276
27.8 Arquivo /etc/network/interfaces276
27.9 Arquivo /etc/networks/options278
27.10Diretório /etc/pam.d278
27.12Diretório /etc/security278
27.13Arquivo /etc/security/access.conf279
27.14Arquivo /etc/security/limits.conf279
27.15Arquivo /etc/crontab280
27.16Arquivo /etc/fstab280
27.17Arquivo /etc/group281
27.18Arquivo /etc/gshadow281
27.19Arquivo /etc/host.conf281
27.20Arquivo /etc/hostname281
27.21Arquivo /etc/hosts281
27.22Arquivo /etc/hosts.allow281
27.23Arquivo /etc/hosts.deny281
27.24Arquivo /etc/hosts.equiv282
27.25Arquivo /etc/inetd.conf282
27.26Arquivo /etc/inittab282
27.27Arquivo /etc/inputrc282
27.28Arquivo /etc/issue282
27.29Arquivo /etc/issue.net282
27.30Arquivo /etc/lilo.conf283
27.31Arquivo /etc/login.defs283
27.32Arquivo /etc/modules283
27.33Arquivo /etc/modules.conf283
27.34Arquivo /etc/motd283
27.35Arquivo /etc/mtab283
27.36Arquivo /etc/networks283
27.37Arquivo /etc/passwd284
27.38Arquivo /etc/printcap284
27.39Arquivo /etc/protocols284
27.40Arquivo /etc/resolv.conf284
27.41Arquivo /etc/serial.conf284
27.43Arquivo /etc/shadow284
27.44Arquivo /etc/shells285
27.45Arquivo /etc/syslog.conf285
27.46Arquivo /etc/timezone285

SUMÁRIO xvi

28.1 Conectando-se a Internet287
28.1.1 Conectando através de ADSL287
28.1.2 Conectando através de Internet Discada287
28.2 Navegando na Internet289
28.3 Recebimento de E-Mails através do fetchmail289
28.3.1 Processamento de mensagens através do procmail291

28 Conectando seu computador a Internet 287

29.1 O que é X Window?293
29.2 A organização do ambiente gráfico X Window293
29.3 Iniciando o X294
29.4 Servidor X294

29 X Window (ambiente gráfico) 293

30.1 Aplicativos Básicos295
30.1.1 Editores de Texto295
30.1.2 Aplicativos para Escritório296
30.1.3 Internet297
30.1.4 Emuladores299
30.1.5 Utilitários299
30.1.6 Administração do Sistema299
30.2 Listagem de Aplicativos para GNU/Linux300
30.2.1 Periféricos / Gerenciamento de Hardware300
30.2.2 Internet301
30.2.3 Conferência de audio/vídeo via Internet/Intranet302
30.2.5 Multimídia304
30.2.6 Som304
30.2.7 Comunicação/Fax306
30.2.8 X Window306
30.2.9 Editoração Gráfica/Visualizadores308
30.2.10 Emuladores/Ferramentas p/ Interação com outros SO309
30.2.1 Programação / Bancos de Dados / Acesso a Dados309
30.2.12 Impressão311
30.2.13 Texto311
30.2.14 Kernel313
30.2.15 Notebooks313
30.2.16 Gravação de CD/DVD313
30.2.17 Computação Paralela/Clusters313
30.2.18 PalmTop / Palm Pilot / Computadores de Mão313
30.2.19 Backup314
30.2.20 Utilitários314
30.2.21 Compactadores/Descompactadores/Arquivadores316
30.2.2 Dispositivos X-10 (Controle de eletrodomésticos e aparelhos via PC)316
30.2.23 Outros317

SUMÁRIO xvii

31.1 Páginas de Manual319
31.2 Info Pages320
31.3 Help on line321
31.4 help321
31.5 apropos/whatis321
31.6 locate322
31.7 which322
31.8 Documentos HOWTO’s322
31.8.1 Listagem de HOWTO’s323
31.9 Documentação de Programas349
31.10FAQ349
31.11RFC’s350
31.12Internet353
31.12.1 Páginas Internet de Referência354
31.12.2 Listas de discussão357
31.13Netiqueta358
31.13.1 Recomendações Gerais sobre a Comunicação Eletrônica359
31.13.2 Email360
31.13.3 Talk360
31.13.4 ICQ361
31.13.5 Listas de Discussão via Email361

SUMÁRIO xviii

32.1 Sobre este guia365
32.2 Sobre o Autor365
32.3 Referências de auxílio ao desenvolvimento do guia366
32.4 Onde encontrar a versão mais nova do guia?366
32.5 Colaboradores do Guia367
32.6 Marcas Registradas368
32.7 Futuras versões368

Capítulo 1 Introdução

Bem vindo ao guia Foca GNU/Linux. O nome FOCA significa FOnte de Consulta e Aprendizado. Este guia é dividido em 3 níveis de aprendizado e versão que esta lendo agora contém:

• Intermediário Entre o conteúdo do guia, você encontrará:

• Explicações necessárias para conhecer, operar, configurar, desenvolver, personalizar seu sistema Linux.

• Uma lista de aplicativos clientes para serem usados em seu sistema GNU/Linux, com suas características, equipamento mínimo requerido e espaço em disco recomendado para instalação.

• Particionamento de disco

• Criação de partições e arquivos contendo o sistema de arquivos ext2, ext3, reiserfs ou xfs (para gravação de arquivos e diretórios) e swap (memória virtual) e as vantagens/desvantagens de se utilizar um arquivo ou partição para armazenamento de dados.

• Compilação de programas/kernel, com explicações sobre cada uma das opções ajudando-o a decidir sobre a inclusão ou não.

• Manipulação de módulos do kernel

• Explicações sobre hardwares (Interrupções, DMA, Jumpers, Jumperless, Plug-and-Play) e como configura-los no Linux, valores padrões e resolução de conflitos entre hardwares.

• Dicas de como avaliar e comprar bons hardwares para que seu computador tenha o melhor desempenho (também válido para DOS, Windows e outras plataformas). Desta maneira você saberá porque alguns dispositivos de boa qualidade, como placas de rede, custam até 3 vezes mais caro que outras e o que a placa traz de especial para ter este diferencial.

Capítulo 1. Introdução 2

• Como modificar facilmente o idioma usado em seu sistema (localização) para o modo texto e modo gráfico.

• Utilização de compactadores de arquivos

• Mais opções para os comandos existentes na versão Iniciante do guia e novos comandos.

• Conhecer os arquivos de configuração e arquivos básicos de segurança, entendendo para que eles servem e como usa-los.

• Dicas de como saber escolher bons periféricos para uso no GNU/Linux e outros sistemas operacionais

• Manutenção básica do computador (verificação do disco, desfragmentação) e manutenção automática feita através dos programas de e scripts configurados.

• Introdução a rede no Linux (com a configuração de dispositivos de rede, etc.).

• Configurações básicas de segurança de Rede

• Gerenciadores de inicialização (boot), o que são e como funcionam e como criar um arquivo de inicialização para inicializar o GNU/Linux pelo disco rígido ou mais de um Sistema Operacional.

• Criação de Memória virtual no disco rígido e em arquivo.

• Os materiais contidos na versão intermediário são ideais para quem já tem um conhecimento básico do sistema GNU/Linux mas que deseja se aprofundar neste sistema conhecendo os arquivos necessários para o funcionamento do GNU/Linux, como modifica-los e como estas modificações afetam o funcionamento do sistema.

Para melhor organização, dividi o guia em 3 versões: Iniciante, Intermediário e Avançado. Sendo que a versão Iniciante é voltada para o usuário que não tem nenhuma experiência no GNU/Linux. A última versão deste guia pode ser encontrada em: Página Oficial do guia Foca GNU/Linux http://www.guiafoca.org

Caso tiver alguma sugestão, correção, crítica para a melhoria deste guia, envie um e-mail para <gleydson@guiafoca.org>.

O Foca GNU/Linux é atualizado freqüentemente, por este motivo recomendo que preencha a ficha do aviso de atualizações na página web em Página Oficial do guia Foca GNU/Linux http://www.guiafoca.org no fim da página principal. Após preencher a ficha do aviso de atualizações, você receberá um e-mail sobre o lançamento de novas versões do guia e o que foi modificado, desta forma você poderá decidir em copia-la caso a nova versão contenha modificações que considera importantes.

Venho recebendo muitos elegios de pessoas do Brasil (e de paises de fora também) elogiando o trabalho e a qualidade da documentação. Agradeço a todos pelo apoio, tenham certeza que

Capítulo 1. Introdução 3 este trabalho é desenvolvido pensando em repassar um pouco do conhecimento que adquiri ao começar o uso do Linux.

Também venho recebendo muitos e-mails de pessoas que passaram na prova LPI nível 1 e 2 após estudar usando o guia Foca GNU/Linux. Fico bastante feliz por saber disso, pois nunca tive a intenção de tornar o guia uma referência livre para estudo da LPI e hoje é usado para estudo desta difícil certificação que aborda comandos, serviços, configurações, segurança, empacotamento, criptografia, etc.

1.1 Antes de começar

Os capítulos Introdução e básico contém explicações teóricas sobre o computador, GNU/Linux, etc., você pode pular este capítulos caso já conheça estas explicações ou se desejar partir para a prática e quiser vê-los mais tarde, se lhe interessar.

Se você já é um usuário do DOS e Windows, recomendo ler ‘Para quem esta migrando (ou pensando em migrar) do DOS/Windows para o Linux’ on page 35. Lá você vai encontrar comparações de comandos e programas DOS/Windows e GNU/Linux.

Para quem está começando, muita teoria pode atrapalhar o aprendizado, é mais produtivo ver na prática o que o computador faz e depois porque ele faz isto. Mesmo assim, recomendo ler estes capítulos pois seu conteúdo pode ser útil...

Coloquei abaixo algumas dicas para um bom começo:

• Recomendo que faça a leitura deste guia e pratique imediatamente o que aprendeu. Isto facilita o entendimento do programa/comando/configuração.

• É preciso ter interesse em aprender, se você tiver vontade em aprender algo, você terá menos dificuldade do que em algo que não gosta e está se obrigando a aprender.

• Decorar não adianta, pelo contrário, só atrapalha no aprendizado. Você precisa entender o que o comando faz, deste modo você estará estimulando e desenvolvendo sua interpretação, e entenderá melhor o assunto (talvez até me de uma força para melhorar o guia ;-)

• Curiosidade também é importante. Você talvez possa estar procurando um comando que mostre os arquivos que contém um certo texto, e isto fará você chegar até o comando grep, depois você conhecerá suas opções, etc.

• Não desanime vendo outras pessoas que sabem mais que você, lembre-se que ninguém nasce sabendo :-). Uma pessoa pode ter mais experiência em um assunto no sistema como compilação de programas, configuração, etc., e você pode ter mais interesse em redes.

• Ninguém pode saber tudo da noite para o dia, não procure saber tudo sobre o sistema de uma só vez senão não entenderá NADA. Caso tenha dúvidas sobre o sistema, procure ler novamente a seção do guia, e caso ainda não tenha entendido procure ajuda nas página de manual (veja ‘Páginas de Manual’ on page 319), ou nas listas de discussão (veja ‘Listas de discussão’ on page 357) ou me envie uma mensagem <gleydson@guiafoca.org>.

• Certamente você buscará documentos na Internet que falem sobre algum assunto que este guia ainda não explica. Muito cuidado! O GNU/Linux é um sistema que cresce

Capítulo 1. Introdução 4 muito rapidamente, a cada semana uma nova versão é lançada, novos recursos são adicionados, seria maravilhoso se a documentação fosse atualizada com a mesma freqüência. Infelizmente a atualização da documentação não segue o mesmo ritmo (principalmente aqui no Brasil). É comum você encontrar na Internet documentos da época quando o kernel estava na versão 2.0.20, 2.2.30, 2.4.8, etc. Estes documentos são úteis para pessoas que por algum motivo necessitam operar com versões antigas do Kernel Linux, mas pode trazer problemas ou causar má impressão do GNU/Linux em outras pessoas. Por exemplo, você pode esbarrar pela Internet com um documento que diz que o Kernel não tem suporte aos “nomes extensos” da VFAT (Windows 95), isto é verdade para kernels anteriores ao 2.0.31, mas as versões mais novas que a 2.0.31 reconhecem sem problemas os nomes extensos da partição Windows VFAT. Uma pessoa desavisada pode ter receio de instalar o GNU/Linux em uma mesma máquina com Windows por causa de um documento como este. Para evitar problemas deste tipo, verifique a data de atualização do documento, se verificar que o documento está obsoleto, contacte o autor original e peça para que ele retire aquela seção na próxima versão que será lançada.

• O GNU/Linux é considerado um sistema mais difícil do que os outros, mas isto é porque ele requer que a pessoa realmente aprenda e conheça computadores e seus periféricos antes de fazer qualquer coisa (principalmente se você é um técnico em manutenção, redes, instalações, etc., e deseja oferecer suporte profissional a este sistema). Você conhecerá mais sobre computadores, redes, hardware, software, discos, saberá avaliar os problemas e a buscar a melhor solução, enfim as possibilidades de crescimento neste sistema operacional depende do conhecimento, interesse e capacidade de cada um.

• A interface gráfica existe, mas os melhores recursos e flexibilidade estão na linha de comando. Você pode ter certeza que o aprendizado no GNU/Linux ajudará a ter sucesso e menos dificuldade em usar qualquer outro sistema operacional.

• Peça ajuda a outros usuários do GNU/Linux quando estiver em dúvida ou não souber fazer alguma coisa no sistema. Você pode entrar em contato diretamente com outros usuários ou através de listas de discussão (veja ‘Listas de discussão’ on page 357). Boa Sorte e bem vindo ao GNU/Linux!

1.2 Pré-requisitos para a utilização deste guia

É assumido que você tenha entendido a função de boa parte dos comandos que consta na versão iniciante do Foca Linux, arquivos e permissões de acesso. Em resumo, que saiba decidir quando e qual(is) comando(s) deve usar em cada situação.

Caso não entenda as explicações da versão INTERMEDIÁRIO, recomendo que faça a leitura da versão INICIANTE do Foca Linux que pode ser encontrada em http://www.guiafoca org.

Este guia não cobre a instalação do sistema. Para detalhes sobre instalação, consulte a documentação que acompanha sua distribuição GNU/Linux.

Capítulo 1. Introdução 5

O Linux é um sistema operacional criado em 1991 por Linus Torvalds na universidade de Helsinki na Finlândia. É um sistema Operacional de código aberto distribuído gratuitamente pela Internet. Seu código fonte é liberado como Free Software (software livre), sob licença GPL, o aviso de copyright do kernel feito por Linus descreve detalhadamente isto e mesmo ele não pode fechar o sistema para que seja usado apenas comercialmente.

Isto quer dizer que você não precisa pagar nada para usar o Linux, e não é crime fazer cópias para instalar em outros computadores, nós inclusive incentivamos você a fazer isto. Ser um sistema de código aberto pode explicar a performance, estabilidade e velocidade em que novos recursos são adicionados ao sistema.

PararodaroLinuxvocêprecisa,nomínimo,deumcomputador386SXcom2MBdememória (para um kernel até a série 2.2.x) ou 4MB (para kernels 2.4 e 2.6) e 100MB disponíveis em seu disco rígido para uma instalação básica e funcional.

O sistema segue o padrão POSIX que é o mesmo usado por sistemas UNIX e suas variantes. Assim, aprendendo o Linux você não encontrará muita dificuldade em operar um sistema do tipo UNIX, FreeBSD, HPUX, SunOS, etc., bastando apenas aprender alguns detalhes encontrados em cada sistema.

O código fonte aberto permite que qualquer pessoa veja como o sistema funciona (útil para aprendizado), corrija alguma problema ou faça alguma sugestão sobre sua melhoria, esse é um dos motivos de seu rápido crescimento, do aumento da compatibilidade de periféricos (como novas placas sendo suportadas logo após seu lançamento) e de sua estabilidade.

Outro ponto em que ele se destaca é o suporte que oferece a placas, CD-Roms e outros tipos de dispositivos de última geração e mais antigos (a maioria deles já ultrapassados e sendo completamente suportados pelo sistema operacional). Este é um ponto forte para empresas que desejam manter seus micros em funcionamento e pretendem investir em avanços tecnológicos com as máquinas que possui.

Hoje o Linux é desenvolvido por milhares de pessoas espalhadas pelo mundo, cada uma fazendo sua contribuição ou mantendo alguma parte do kernel gratuitamente. Linus Torvalds ainda trabalha em seu desenvolvimento e na coordenação dos grupos de trabalho do kernel.

O suporte ao sistema também se destaca como sendo o mais eficiente e rápido do que qualquer programa comercial disponível no mercado. Existem centenas de consultores especializados espalhados ao redor do mundo. Você pode se inscrever em uma lista de discussão e relatar sua dúvida ou alguma falha, e sua mensagem será vista por centenas de usuários na Internet e algum irá te ajudar ou avisará as pessoas responsáveis sobre a falha encontrada para devida correção. Para detalhes, veja ‘Listas de discussão’ on page 357.

1.3.1 Algumas Características do Linux

• É livre e desenvolvido voluntariamente por programadores experientes, hackers, e contribuidores espalhados ao redor do mundo que tem como objetivo a contribuição para

Capítulo 1. Introdução 6 a melhoria e crescimento deste sistema operacional. Muitos deles estavam cansados do excesso de propaganda (Marketing) e baixa qualidade de sistemas comerciais existentes

• Também recebe apoio de grandes empresas como IBM, Sun, HP, etc. para seu desenvolvimento

• Convivem sem nenhum tipo de conflito com outros sistemas operacionais (com o DOS,

Windows, OS/2) no mesmo computador. • Multitarefa real

• Multiusuário

• Suporte a nomes extensos de arquivos e diretórios (255 caracteres)

• Conectividade com outros tipos de plataformas como Apple, Sun, Macintosh, Sparc, Alpha,

PowerPc, ARM, Unix, Windows, DOS, etc.

(Parte 1 de 5)

Comentários