Amostragem do solo

Amostragem do solo

(Parte 1 de 13)

Amostragem do solo 6300

Projeto CETESB – GTZatualizado 1/19991

6300Amostragem do solo

Introdução

Quando um volume de solo precisa ser caracterizado, normalmente não existe a possibilidade de que todo ele seja examinado, sendo necessário que amostras do mesmo sejam coletadas. Essas amostras devem ser o mais representativas possíveis do material original ou área a ser caracterizada.

Antes de iniciar-se qualquer programa de amostragem de solo, os seus objetivos devem ser definidos (investigação confirmatória, detalhada e para remediação), pois são os fatores determinantes no planejamento do programa a ser executado (definição da densidade, da posição dos pontos de amostragem, dos procedimentos de campo, dos métodos de conservação das amostras e das necessidades analíticas). De acordo com os objetivos estabelecidos, serão determinados o grau de detalhe e a precisão a ser adotados no programa de amostragem estabelecido para a área.

Na definição desses objetivos, é importante levar-se em conta toda informação préexistente do local ou mesmo aquelas existentes em locais similares ao estudado, em algumas situações; onde essas informações são escassas, pode ser necessária a realização de estudos iniciais, como a aplicação de métodos geofísicos e de "screening", antes que sejam definidos os objetivos finais da amostragem.

Portanto, deve ser enfatizado que a execução com sucesso dos objetivos delineados depende diretamente da qualidade do programa de amostragem planejado e da sua perfeita execução.

Dessa forma, segundo BYRNES (1994), na organização de um programa de amostragem para uma área específica devem ser definidos:

• Objetivos da amostragem de solo • Necessidade e utilização dos dados

• Programa de amostragem

Esses tópicos são detalhados pela United States Environmental Protection Agency (USEPA, 1989), sendo apresentados a seguir.

6300 Amostragem do solo

Projeto CETESB – GTZatualizado 1/19992

1 Definição dos objetivos da amostragem de solo

Os dois aspectos mais importantes nessa etapa são o levantamento histórico de informações existentes da área e o desenvolvimento de um modelo conceitual para a mesma. Nessa etapa, serão definidos os objetivos e as ações a ser realizadas durante o processo de investigação/amostragem, resultando na identificação das deficiências de informações já existentes, justificando assim o levantamento de novos dados.

Nessa etapa, as seguintes ações podem ser efetuadas:

1.1 Identificar e envolver o grupo de pessoas que farão parte do programa de amostragem ou que utilizarão os dados levantados

No desenvolvimento de um programa de amostragem de solo, além do principal interessado, que em última instância será o responsável pelas decisões a ser tomadas, uma série de profissionais deve ser envolvida com a finalidade de complementar e detalhar o programa delineado. Esse grupo de pessoas normalmente envolve os seguintes profissionais:

• Responsáveis pela área investigada • Coordenadores do projeto de caracterização/remediação

• Representantes do órgão de controle ambiental

• Representantes dos laboratórios responsáveis pelas análises

• Outras partes interessadas

Os coordenadores do projeto de caracterização/remediação da área estudada serão os principais responsáveis pela definição das necessidades de informações a ser levantadas no estudo de determinada área. Dessa forma, devem compor uma equipe multidisciplinar para atingir esse objetivo, formada por profissionais de diferentes áreas como agrônomos, geólogos, químicos, estatísticos, toxicologistas, etc.

Químicos e estatísticos devem fazer parte da elaboração de qualquer plano de amostragem de solo. Os químicos têm papel importante na determinação dos tipos de análises a ser realizadas e no estabelecimento dos níveis de detecção necessários para atingir-se os objetivos do estudo. Profissionais especializados em solo, como os agrônomos e geólogos, podem auxiliar na avaliação das interações dos compostos químicos com o solo. Os estatísticos ou outros profissionais com especialização em geoestatística são igualmente importantes na determinação da malha de amostragem que melhor avalie a distribuição espacial da contaminação existente.

Durante o processo de elaboração do plano de amostragem ou após seu início, verificada a necessidade de um refinamento do processo de coleta de dados, novos

Amostragem do solo 6300

Projeto CETESB – GTZatualizado 1/19993 técnicos de diferentes áreas podem se juntar à equipe montada para promover uma reavaliação dos dados levantados.

1.2 Avaliação preliminar

Uma avaliação preliminar deve ser efetuada previamente à elaboração do programa de amostragem. A avaliação preliminar é abordada de forma abrangente no capítulo 5000 deste manual, sendo comentados aqui apenas os aspectos mais específicos relativos a amostragem de solo.

Conforme já detalhado no capítulo citado acima, uma avaliação preliminar deve sempre compreender:

• Levantamento de dados existentes • Visita de reconhecimento

Os principais objetivos da avaliação preliminar relativos à amostragem de solo são:

Melhorar o conhecimento acerca das condições atuais da área a ser investigada, pelo levantamento das atividades realizadas no passado, tanto na área como em sua vizinhança, permitindo que:

• programa de amostragem seja desenvolvido de forma eficiente e com custos mínimos.

• identificar as medidas necessárias para proteger a saúde e a segurança dos trabalhadores durante a investigação;

• identificar as medidas necessárias para proteger o meio ambiente durante a execução do programa de amostragem.

Outras informações relevantes na condução do programa de amostragem também podem ser reunidas, como, por exemplo, o meio de acesso dos equipamentos à área, serviços disponíveis nas imediações (laboratórios, lojas, descontaminação do equipamentos), disponibilidade de energia elétrica.

1.2.1 Levantamento e avaliação de informações já existentes do local

O levantamento de informações já existentes do local como resultado de um estudo preliminar ou exploratório constitui uma excelente fonte de informações na elaboração do plano de amostragem. As principais fontes de informação para realização do levantamento de informações históricas são comentados no capítulo 5000.

Áreas com situações similares a investigada, com estudos já realizados, também podem constituir-se em uma valiosa fonte de informações a ser aproveitadas.

6300 Amostragem do solo

Projeto CETESB – GTZatualizado 1/19994

Normalmente, as informações levantadas inicialmente mostram-se fragmentadas, desatualizadas e incompletas, auxiliando na investigação a ser realizada, mas insuficientes para dar suporte às decisões a ser tomadas.

Dessa forma, os dados de caracterização da área, levantados nessa etapa, devem ser examinados quanto a sua exatidão e validade atuais. Por outro lado, vale ressaltar que mesmo as informações julgadas inadequadas para os padrões de qualidade estabelecidos a priori ou devido a sua desatualização, podem ser de grande valia no estabelecimento de hipóteses sobre como os poluentes se comportaram ao longo do tempo, no local estudado, auxiliando na elaboração do modelo conceitual para a área em questão.

Nessa avaliação, os seguintes fatores devem ser considerados:

• Época de execução e a possibilidade de comparação; • Precisão e exatidão dos dados;

• Pontos de coleta das amostras avaliadas;

• Plano de amostragem adotado na coleta das amostras (distribuição dos pontos de amostragem, métodos de coleta, preservação, frascos, transporte);

• Métodos analíticos utilizados;

(Parte 1 de 13)

Comentários