PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Leucipo de Ábdera

Leucipo de Ábdera (490? –420?) é chamado assim não por ter nascido em Ábdera, mas por ter nela florescido.

Primeiro filósofo da escola Atomista, seguido por Demócrito de Ábdera, seu discípulo.

É a ele atribuído o livro “Grande Sistema Cósmico”, traduzível como “ Grande Ordem do Mundo”, sendo Demócrito acusado de plagiar esta obra.

Marco inicial da escola filosófica atomista.

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Átoma, o indivisível

A escola atomista pregava que as coisas se formavam por composição progressiva.

“São os átomos partículas homogêneas quanto ao conteúdo, ficando a diversificação por conta da figura dos mesmos e dos arranjos atômicos.”dos mesmos e dos arranjos atômicos.”

Prega que diferentes substancias são formadas pelas diferença ente os átomos.

Comprovado por John Dalton (1766-1844) e Amadeo Avogrado (1776-1856).

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Fonte: w w p cl i pa r t. c o sc i en c e_2/

J ohn_Da l ton.png

Fonte: w w p cl i pa r t. c o sc i en c e_2/

J ohn_Da l ton.png

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

MODELO ATÔMICO DE DALTON: O modelo da bola de bilhar (1803)

Átomo, uma minúscula partícula (esfera):

v maciça; v indestrutível; v impenetrável;

v indivisível; vsem cargas elétricasModelo Atômico de Dalton (1803)

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

go v .b r / s i s te m a_ cr v /ban c o_ob je

Fonte:

crv . edu c a c ao

. mg . go v .b r / s i s te m a_ cr v /ban c o_ob je

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

A partir das experiências de Lavoisier e de Proust, Dalton formulou os seguintes postulados:

1- A matériaé formada por partículas extremamente pequenas chamadas átomos; 2- Os átomos são esferas maciças, indestrutíveis e indivisíveis; 3- Átomos que apresentam mesmas propriedades (tamanho,3- Átomos que apresentam mesmas propriedades (tamanho, massae forma)constituem um elemento químico; 4- Átomos de elementos diferentes possuem propriedades diferentes; 5- Os átomos podem se unir entre si formando “átomos compostos” (moléculas); 6- Uma reação química nada mais é do que a uniãoe separação dos átomos.

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

go v .b r / s i s te m a_ cr v /ban c o_ob je

Fonte:

crv . edu c a c ao

. mg . go v .b r / s i s te m a_ cr v /ban c o_ob je

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Modelo atômico de Thomson

. w i k i m ed i a.o r g/.../ m s on. j pg

Fonte:

up l oad

. w i k i m ed i a.o r g/.../ m s on. j pg

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

w w w .po r ta l s ao f r an c i sc o. c o m .b r /a l f a/ m ode lo

Esfera maciça de carga positiva na qual aparecem elétrons incrustados, tornando-a neutra.

F onte:

w w w .po r ta l s ao f r an c i sc o. c o m .b r /a l f a/ m ode lo

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Os raios catódicos: A descoberta do elétron

As evidencias sobre as partículas constituintes do átomo começaram a surgir de maneira mais concreta no final de século XIX. Com experiências de descargas elétricas em gases rarefeitos.

1859- Henrich Geissler e Julius Plucker – experimento da passagem de corrente eletrica em tubo contendo gás rarefeito obtendo uma luz esverdeada.

Fonte: w w w . c a.u f sc r a i o c atod i co / r a i o c 6. j pg

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Com essas observações o alemão Goldstein demonstrou que a luz esverdeada do tubo provinha do eletrodo negativo(cátodo) e denominou-a raios catódicos.

Fonte: w w w .p r o f p c . c o m .b r /tubo sc at ód i c o s . J

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

A ampola de Crookes

Em 1878, o inglês William Crookes (1822-1919) com base no tubo de raios catódicos, construiu um aparelho para melhor estudar os raios catódicos. Descobrindo assim uma série de propriedades.propriedades.

Na ampola de Crookes, o ânodo (pólopositivo) é colocado ao lado do cátodo (pólonegativo)

Fonte: w w w . c a.u f sc r a i o c atod i co / r a i o c 4. j pg

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Propriedades dos Raio Catódicos

1-São perpendiculares ao cátodo; 2-São retilíneos;

4-Têm carga negativa. 4-Têm carga negativa.

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Os raios catódicos tem carga negativa

Esta propriedade é demonstrada submetendo os raios catódicos a um campo elétrico, pois eles sofrem um desvio na direção da placa positiva.desvio na direção da placa positiva.

Fonte: w w w .p r o f p c . c o m .b r /tubo sc at ód i c o s . J

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Com base em tais descobertas Thomson em colaboração com Rutherford determina a relação entrea carga (q) e a massa (m) das partículas dos raios catódicos, verificando que q/m é uma constante.

Chegando a conclusão de que essas partículas estavam presentes em qualquer tipo de matéria, estava então descobertoo ELÉTRON, um dos constituintes do átomo.

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Em 1903o cientista inglês Joseph J.Thomson, através de experiências realizadas com gases concluiu quea matéria era formada por cargas elétricas positivase negativas sendo:

Elétron-partícula subatômica de carga negativa.

Síntese do Modelo Atômico de Thomson

Elétron-partícula subatômica de carga negativa.

Para Thomson o átomo seria:

ØUma esfera maciça e positiva, com cargas negativas distribuídas ao acaso na esfera.

ØA quantidade de cargas positivas e negativas seriam iguais tornando-o neutro.

Obs.: Este modelo atomico ficou conhecido como”pudim de passas”.

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Video sobre o experimento de Thomson

w.equimica.iq.unesp.br/index.php?option=com_content&view=ar ticle&id=73:experimento-de-thonson&catid=36:videos&Itemid=5

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

DESCOBERTA DO RAIO XDESCOBERTA DO RAIO X WilhelmWilhelmConrad Conrad RontgenRontgen( 08( 08--1--1895)1895)

A tom os . pps

Fonte: w w w . c o l m agno.

c o m .b r /p l u s /Ma r i a J u li a/

M od el os ic os

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

O fenômeno......

a tom os . ppt

F onte w w

. c o l eg i o i b i tu r una . c om

/

/ mod el os - a tom ic os

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Radioatividade

A descoberta da radioatividade ocorreu, casualmente, por Henri Becquerel, em 1896, ao estudar as impressões feitas em papel fotográfico por sais de urânio, quando eram Fonte: w w w . i f i .un i c a m p.b r / ~ g r ad/ f 428/au l a s /au l a10 ppt por sais de urânio, quando eram

expostos à luz solar.

Fonte: w w w . i f i .un i c a m p.b r / ~ g r ad/ f 428/au l a s /au l a10

F onte: w . c db.b r /p r o f /a r qu iv o s /70661_2009021008

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Um casal inteligente - Pierree Marie Curie

• A radiação descoberta por Becquerel inicialmente conhecida como raios de becquerel, foi chamada de

radioatividade pela polonesa

Marie S. Curie em 1898. O casal Curie mede as

/.../No

A p r e s e n ta ç ão % 20do

M i cr o s o ft

O casal Curie mede as radiações emitidas pelo minério de Urânio , afirmando que essa era uma propriedade intrínseca do elemento Urânio;

Descobre que o urânio não era o único elemento químico que tinha essa propriedade: Sais de Tório(Th) também possuía;

F onte:edu c a. fc

. up . pt /.../No

A p r e s e n ta ç ão % 20do

M i cr o s o ft

P o w e rP

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

• Descobre que a pechblenda - um minério contendo óxido de urânioera bem mais radioativo que o urânio metálico. Isso significava que o minério continha, além do urânio, outro elemento radioativo;

.p r o f e s o r . c e f et c a m po s .b r /.../

R A L_02_07 ppt .

• Conseguem isolar da pechblenda dois elementos químicos que foram denominados de Polônio e Radio.

.p r o f e s o r . c e f et c a m po s .b r /.../

R A L_02_07

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

O fim do século XIX e início do século X constituíram um tempo de seguidas revoluções científicas. No apogeu do colonialismo, a Europa atravessava uma fase de prosperidade econômica, que permitia a aplicação de recursos econômicos para sustento de cientistas e financiamento de pesquisas.

A ciência no início do século X financiamento de pesquisas.

No Brasil:

A existência de uma comunidade científica ainda tão débil contrastava fortemente com todo um movimento da sociedade brasileira na busca de educação e formação técnica, a partir do início da República.

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Rutherford

Ernest Rutherford, foi um físico neozelandês considerado comoo pai da física nuclear. Viveu em

uma época em quea tecnologia ainda não havia assumido a

c o m /en/

P h y s i cs

/ Bi r aph i e s /

E r ne s tRuthe r f o r d_ ainda não havia assumido a importância que tem hoje.

Pensava-se em ciência ainda com certo romantismo. Os cientistas ainda não sofriam o peso das solicitações de ordem prática, tal comoatualmenteacontece.(1871 -1937)

F onte : http

: //w

. sc i en t i f ic w eb . c o m /en/

P h y s i cs

/ Bi r aph i e s /

E r ne s tRuthe r f o r d_

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

O experimento de RutherfordO experimento de Rutherford

Em 1910, Rutherford e sua equipe de trabalho

estudaram os ângulos, nos quais as partículas alfa (α)

w eb.

c o m /en/

P h y s i cs

/ Bi r aph i e s /

E r ne s tRuthe r f o r d.htm quais as partículas alfa (α) são desviadas e como passam através de uma fina lâmina de ouro.

Fonte: http://

. sc i ent i f ic c o m /en/

P h y s i cs

/ Bi r aph i e s /

E r ne s tRuthe r f o r d.htm

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

O fragmento de polônio foi colocado no interior de um bloco de chumbo que possuía um orifício através do qual saía um feixe de partículas alfa provenientes do polônio.

Fonte: http://enciclopediavirtual.vilabol.uol.com.br/quimica/atomistica/explicacaoexperiencia.htm PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Em frente ao feixe de partículas alfa foi colocada uma chapa recoberta internamente com material fluorescente (ZnS), para que nela se registrassem as cintilações provocadas pela colisão das partículas alfa.

Fonte: http://enciclopediavirtual.vilabol.uol.com.br/quimica/atomistica/explicacaoexperiencia.htm PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Em seguida, colocou-se uma lâmina delgada de ouro (Au) interceptandoo feixe de partículas alfa( α).

F onte: http://en c i c l oped i a vi r tua abo l .uo l . c o m .b r /qu i m i c a/ato m i s t i c a/

F onte: http://en c i c l oped i a vi r tua abo l .uo l . c o m .b r /qu i m i c a/ato m i s t i c a/ e x p li c a c aoe x pe r i en c i a.htm

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

O que aconteceu?O que aconteceu? PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

A nível macroscópico

Fonte: http://enciclopediavirtual.vilabol.uol.com.br/quimica/atomistica/explicacaoexperiencia.htm PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Rutherford e sua equipe de trabalho observaram que:

A maior parte das partículas alfa atravessavaa lâmina, como se nada existisse em seu caminho, e produzia cintilações numa região da chapa fluorescente.

Algumas eram desviadas de sua trajetória, ao atravessar Algumas eram desviadas de sua trajetória, ao atravessar a lâmina, e produziam cintilações em pontos ligeiramente afastados da região de incidência da grande maioria das partículas α.

Raramente, algumas partículas α eram refletidas ao incidir sobrea lâmina de ouro.

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

A nível microscópico Fonte: cientificocalvin.files.wordpress.com/2009/10/...

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Conclusões de Rutherford

O átomo é formado por um núcleo muito pequenoe denso, com carga positiva, no qual se concentra praticamente todaa massa do átomo. Em torno do núcleo localizam-se os elétrons neutralizandoa carga positiva. Assim, ele criou o Modelo Planetário do Átomo.

Fonte: enciclopediavirtual.vilabol.uol.com.br/quimic...

Modelo atômico de Rutherford (1911)

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

m l g

E / S o l x

M f e P y qI/

Q / z u

E ttC

V nIo

/a le

F onte : http

. b l og s pot . c o

0 m l g

E / S o l x

M f e P y qI/

Q / z u

E ttC

V nIo k /s

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Referências

FELTRE, Ricardo. Química geral. 6ed. São Paulo: Moderna, 2004.

SARDELLA, Antonio. Química - Série Novo Ensino Médio, vol. único, Ática, São Paulo, 2000.

FONSECA, Martha Reis Marques da. Química, vol 1, FTD, São Paulo, 2001.São Paulo, 2001.

SANTOS, Wildson Luiz Pereira (Coordenador). Químicae Sociedade, Nova Geração, 2005.

Modelo atômico de Rutherford. Disponível: w.portalsaofrancisco.com.br/alfa/modelo-atomico-de rutherford/modelo-atomico-de-rutherford.php. Acesso em 18 de maio de 2010.

PDF created with pdfFactory Pro trial version w.pdffactory.com

Comentários